Ubatuba – Pescadores ajudarão a retirar lixo do mar

O projeto piloto “Lixo na Rede”, do governo do Estado, será lançado em Ubatuba no próximo dia 2. A meta é expandi-lo para todo o Litoral Norte

Os pescadores de Ubatuba terão um papel importante na preservação do meio ambiente local. A cidade foi escolhida para a fase experimental do módulo “Lixo na Rede”, que será lançado no próximo dia 2, na Escola Municipal Esteves da Silva, a partir das 14h. Por meio deste projeto, os pescadores serão incentivados a retirar o lixo do mar e trazê-lo para caçambas que serão colocadas nos principais pontos de chegada de barcos da cidade: Ilha dos Pescadores, Píer do Saco da Ribeira e Cais do Itaguá.

O objetivo do projeto é promover a despoluição dos mares costeiros, estimulando os pescadores a trazerem para o continente todo o lixo recolhido nas redes durante a atividade pesqueira. Para realizar tal atividade, pescadores dos 260 barcos existentes em Ubatuba receberão um treinamento com certificado, além de kits, com sacos de lixo retornáveis e bandeirolas do Projeto Marinas, do qual o “Lixo na Rede” faz parte.

Segundo o gerente regional da CETESB no Litoral Norte, João Carlos Milanelli, a intenção é envolver a comunidade pesqueira com as questões ambientais, tornando-os aliados da preservação. “A ajuda desses profissionais será de grande relevância para a retirada do lixo que se acumula nos rios e no mar e que poderia passar décadas sem ser recolhido. Os pescadores já tem sido parceiros das questões ambientais e acredito que este projeto irá integrá-los ainda mais na busca de um meio ambiente saudável.”

A secretária de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Valéria Gelli, afirma que a adesão dos pescadores a este projeto é de fundamental importância. “Os pescadores trabalham no mar e tiram dele sua renda. O fato de poderem contribuir para sua limpeza é algo que também trará benefícios a eles próprios, além de prestar um serviço inestimável à natureza.”

A realidade atual

Em sua rotina no mar, os pescadores, especialmente os barcos de pesca de camarão, que usam redes de arrasto de fundo, recolhem quantidades significativas de lixo, juntamente com o pescado, especialmente nas águas próximas aos centros urbanos e a desembocaduras de rios mais caudalosos. Este lixo costuma ser devolvido ao mar pelos pescadores, uma vez que eles não têm estrutura para recolher este resíduo. Segundo informações da Colônia de Pesca Z-10, o lixo encontrado no mar é bastante variado: vidro, metais, madeira e plásticos. Em condições extremas, pode-se recolher até 20 kg de lixo por embarcação, ao dia.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.