Termina defeso da piracema

O Ibama intensificou, neste ano, a fiscalização da pesca das espécies da piracema. Foram apreendidas 10t de peixe

Iguatu. A partir de hoje, está liberada a pesca em rios, lagoas, açudes públicos e particulares das espécies de piracema. Terminou, ontem, o período de defeso que começou no último dia 20 de fevereiro, de acordo com portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Neste ano, a fiscalização foi intensificada e foram apreendidos no Ceará, cerca de 10 toneladas de pescados de água doce.

O objetivo da proibição anual da pesca com o uso de galões, tarrafas, rede, malhas, é preservar a reprodução das espécies de piracema (curimatã, branquinha, piaba, piau, sardinha e tambaqui). Quando ocorrem as enxurradas, isto é, água nova, cheias de rios e açudes, esses peixes nadam contrário à correnteza para a desova (piracema). Daí a necessidade de implantação do período de defeso no Estado.

Além da pesca, a proibição se estende para o transporte, armazenamento e comercialização das espécies de piracema. Durante o período de defeso, que neste ano foi de 70 dias, os cadastrados em Colônias de Pescadores e na Previdência Social recebem dois salários mínimos, como benefício social do Seguro Desemprego. Neste ano, somente em Iguatu, foram atendidos 180 pescadores. Em 2005, foram apenas 15. Esse número demonstra a necessidade de organização da categoria para melhor cumprimento da legislação.

Preparação dos barcos

Os pescadores vivem a expectativa de retorno às águas. Nos últimos dias, dedicaram-se ao trabalho de preparação dos barcos e redes de pesca. “Estamos contando as horas para voltar ao trabalho”, disse o pescador Francisco Ivan de Souza, que há dez anos sobrevive com a venda de pescado, no Açude Orós. O pescador Vicente Pedro da Silva considera que o período de defeso é extenso. “Deveria ser apenas um mês ou pouco mais”, disse. “Muitos estão parados”, complementou.

A presidente da Colônia de Pescadores Z-41 em Iguatu, Neide França Chaves, defende o período de defeso. “A maioria dos pescadores já tem consciência da necessidade de preservação para não faltar o pescado no futuro”, disse.

“A nossa luta é para organizar a categoria e garantir o pagamento do Seguro Desemprego para todos os cadastrados, que são pescadores profissionais”. Neste ano, pelo menos 60 pessoas ficaram fora do programa por falta de regulamentação dos documentos exigidos pelo governo.

Pescadores conscientes

O chefe do Escritório Regional do Ibama, em Iguatu, Fábio Bandeira, também disse que os pescadores estão conscientes da necessidade do período de defeso e lembra que o descumprimento da determinação resulta em prática de crime ambiental, com prisão, aplicação de multa e cancelamento de pagamento do benefício do Seguro Desemprego.

Apesar do reduzido número de fiscais, Bandeira disse que o Ibama intensificou a fiscalização que resultou na apreensão de cerca de 10 toneladas de pescado e farto material de pesca. “Avaliamos que, neste ano, houve maior consciência por parte dos pescadores que respeitaram o defeso e ocorreu bons resultados nas operações de fiscalização”, disse.

“O nosso trabalho de conscientização em conjunto com as colônias de pescadores e Câmara de Vereadores vai continuar ao longo do ano”.

Mais informações:

Escritório do Ibama em Iguatu
(88) 3582. 1474

Ibama em Fortaleza
(85) 3272.1600
(85) 3227.9081

Fonte : Diário do Nordeste

Sobre o autor

Escreveu 2224 artigos neste site.

1 Comentário em “Termina defeso da piracema”

  • alexandre Publicado em 22 janeiro, 2008, 13:59

    quando eu posso começar a pescar aqui nos rios
    sou de sao paulo..
    espero a resposta

    Obrigada

Deixe um Comentário

Gravatar são pequenas imagens que mostram sua personalidade. Obtenha um gravatar gratuitamente!


7 + três =

Copyright © 2014 Guia da Pesca. Todos os direitos resevados.
Hospedado e Personalizado por Aquila Host