Santo Antônio Energia resgata e devolve 300 toneladas de peixe ao Rio Madeira

Além de peixes, foram devolvidos ao rio tartarugas e quatro botos cor-de-rosa, sendo um deles adulto com mais de 200 quilos

A Santo Antônio Energia, empresa responsável pela operação da usina hidrelétrica Santo Antônio, no Rio Madeira, em Rondônia, concluiu com sucesso o resgate de 300 toneladas de peixes de 87 espécies, mais de dois milhões de indivíduos, que estavam numa barragem provisória (ensecadeira) e foram devolvidos ao leito do rio. A barragem provisória permitirá a construção do grupo gerador quatro, onde ficarão as 12 últimas turbinas do total de 44 do empreendimento.

A operação foi realizada durante seis meses – de setembro de 2011 a fevereiro de 2012 – e contou com a participação de mais de 100 profissionais, entre biólogos, engenheiros, pescadores, técnicos hidráulicos e elétrica e de meio ambiente, além da equipe especializada da empresa Bios Consultoria. Todos trabalharam com a preocupação de manter a qualidade da água e a oxigenação adequada na ensecadeira, para garantir a sobrevivência dos animais.

Por conta da grande quantidade de peixes, no início, os profissionais trabalharam em dois turnos, finalizando as atividades às 3h da madrugada. Depois de serem resgatados por redes de arrasto e tarrafa, os animais foram medidos, pesados, colocados em uma caçamba com oxigenação constante da água e levados para uma área previamente selecionada, denominada “área de soltura”, que é a montante ou a jusante do rio Madeira, dependendo das espécies de peixes.

Além de peixes, foram devolvidos ao rio tartarugas e quatro botos cor-de-rosa, sendo um deles adulto com mais de 200 quilos. Dentre as espécies resgatadas estão peixes de grande relevância para pesca comercial da região, como Dourados, Filhotes, Pirarucus, Jaús, Capararis, Surubins, Apapás, Curimbatás e outros. O destaque ficou por conta do resgate de um pirarucu de 2,40 metros e 130 quilos.

“Durante o processo de resgate houve perda de 0,27%, percentual muito baixo, tendo em vista as dimensões do empreendimento. Os profissionais envolvidos nunca trabalharam em uma área com estas dimensões, com quase 47 hectares e 5 milhões e 700 mil metros cúbicos de água e grande biomassa de peixes”, afirma Renê Hojo, biólogo da Bios Consultoria, empresa que já atuou em resgates de peixes em mais de doze hidrelétricas no Brasil.

http://www.rondoniaovivo.com

Veja também

Tubarão-lixa

Brasil consegue reprodução de tubarão lixa em cativeiro

Um casal de tubarões-lixa (Ginglymostoma cirratum) se reproduziu pela segunda vez no Brasil, em tanques …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.