Rondônia recebe recursos e investe na produção de tambaqui e pirarucu

Considerado um dos estados brasileiros com maiores potenciais para o crescimento da produção de pescado no Brasil, Rondônia recebeu, no último dia 02/05, importantes investimentos do Ministério da Pesca para desenvolver e estimular a produção de peixes na região dos municípios de Alta Floresta D’Oeste e Rolim de Moura. A conclusão de um frigorífico com capacidade de abate de 5 mil kg/dia e a entrega de uma escavadeira hidráulica para a abertura de tanques foram anunciadas aos dois municípios pelo ministro da Pesca e Aqüicultura, Altemir Gregolin.

Alta Floresta D’Oeste recebeu uma escavadeira hidráulica – a maior do gênero no Brasil – para a abertura de tanques para a produção de peixes que têm grande mercado como o tambaqui e o pirarucu. A máquina foi entregue à prefeitura municipal que passa a administrar o equipamento, previsto para beneficiar 300 produtores de pescado da região e outros 700 produtores indiretamente. “Esta maquina vai nos ajudar muito para investirmos forte nesta atividade”, destacou o prefeito de Alta Floresta, Daniel Deina. “Hoje já tem muito produtor aqui no nosso município querendo parar com a produção de gado para produzir peixe, porque sabe que pode ter mais lucro”, explicou Deina.

Uma obra que enfrentava dificuldades para ser concluída, o frigorífico de pescado de Rolim de Moura agora começa contar o tempo para ser inaugurado e iniciar o abate dos milhares de pirarucus e tambaquis que a região produz. O Ministério da Pesca liberou nesta semana R$716 mil reais para a conclusão do frigorífico. “Este frigorífico é uma obra estratégica para toda esta região”, salientou o ministro Gregolin, ao lembrar que com ações como esta “Rondônia vai ganhando a condição de ser um dos maiores produtores de pescado do Brasil”.

O Estado de Rondônia aposta muito na produção de pescado. Com águas de excelente qualidade e clima extremamente favorável, os municípios começam a ver o tamanho do potencial que têm para produzir peixes, gerar renda e empregos. Como exemplo maior, a produção de pirarucu em tanques escavados. O peixe chega a 12 quilos em apenas um ano, o que garante um excelente volume de produção por metro cúbico e retorno financeiro ao piscicultor. O pirarucu de Rondônia já está sendo vendido para supermercados de São Paulo e Rio de Janeiro e também exportados para diversos países da Europa e da Ásia.

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.