Presos na Paraíba por pesca de lagosta no final do defeso

João Pessoa (21/05/2010) – Na noite de quarta-feira (19/05), poucas horas antes do fim do período do defeso, uma ação realizada na Operação Impacto Profundo III do Ibama/PB e Polícia Militar Ambiental da Paraíba, apreendeu cerca de 80 kg de caudas de lagostas pescadas com petrechos de pesca não permitidos. Após intensas investigações, foi constatado que pescadores do município de Baía da Traição saquearam as lagostas do fundo do mar, utilizando compressores e marambaias, e aportaram em Cabedelo para vendê-las a atravessadores locais.

Na operação, foram apreendidos equipamentos de mergulho, compressores, além do barco “Gabriel Neto”, bem como foram aplicadas multas no valor total de R$ 21,6 mil. Além disso, cinco pessoas foram conduzidas à Superintendência da Polícia Federal na Paraíba, ficando presas, e só serão soltos após o pagamento de fiança ou decisão judicial.

De acordo com o chefe da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama/PB e coordenador da operação, o analista ambiental Marco Vidal, a pesca de lagosta utilizando compressores, além de ilegal, é extremamente perigosa para a saúde dos pescadores. “O mais incrível é que os pescadores admitiram nos depoimentos que sabiam da ilegalidade da pesca com compressores e dos riscos à saúde decorrentes desta prática, e afirmaram conhecer pescadores que morreram ou ficaram inválidos mergulhando atrás de lagostas”, concluiu.

O superintendente do Ibama/PB, Ronilson José da Paz, informou que a Instrução Normativa Interministerial nº 6/2010, do Ministério da Pesca e Aquicultura e do Ministério do Meio Ambiente, publicada nesta quarta-feira (19/05) no Diário Oficial da União, interrompe a proibição da pesca de lagostas vermelha (Panulirus argus) e verde (Panulirus laevicauda) nas águas sob jurisdição brasileira, excepcionalmente para este ano de 2010, ficando permitida a largada das embarcações devidamente autorizadas para a pesca destas lagostas a partir de zero hora do dia seguinte à sua publicação. “Não há permissão para o uso de petrechos proibidos para a pesca da lagosta”, finalizou.

Mesmo em greve, desde 12 de abril os trabalhos da fiscalização do Ibama/PB não sofreram interrupção e a programação das operações agendadas em dezembro de 2009 pela Diretoria de Proteção Ambiental (Dipro) estão sendo fielmente cumpridas.

Ascom/Ibama/PB

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.