Pesca e aquicultura brasileira na pauta econômica de Cuba e Noruega

Mercado internacional está acordando para uma forte economia que estava adormecida nas águas brasileiras

Os embaixadores de Cuba, Carlos Rodriguez, e do Brasil na Noruega, Carlos Cardim declararam o apoio dos dois países ao desenvolvimento do setor aquícola e pesqueiro brasileiro. Em visita à ministra Ideli Salvatti, nesta segunda (14), as autoridades reconheceram o potencial do país no avanço da produção e do consumo da carne de peixe e pescados em geral, que de 7kg passou para 9kg hab/ano.

No caso da Noruega, exemplificou a ministra, precisamos aprender com eles a produzir tecnologia para o setor, já que o país, de dimensão bem menor está à frente em volume de produção – mais de 3,2 milhões/ton/ano, o dobro do Brasil. Carlos Cardim citou os acordos de cooperação em andamento e a realização de um seminário previsto para acontecer em Manaus, de 28/3 a 1/4. O evento trará técnicos dos dois países para intercâmbio e objetiva estabelecer parcerias futuras em projetos diversos, a exemplo da criação de espécies em cativeiro na região amazônica.

Em se tratando de Cuba o embaixador Rodriguez fez referência aos projetos já executados como o Pescando Letras, cujo método “Sim, eu posso” foi adotado pelo Brasil, além das parcerias no cultivo da tilápia brasileira e da lagosta cubana, cujos técnicos do MPA já fizeram visitas para conhecer a experiência que pode ser trazida ao país.

Visitas de embaixadores e ministros de países diversos têm sido frequentes devido ao interesse no potencial e no rápido crescimento do Brasil neste setor, citou a ministra. Segundo ela, a evolução da produção nacional pela aquicultura, criação em cativeiro, cujo crescimento brasileiro de 13% esteve acima da média mundial (7%), “representa que o mercado internacional está acordando para uma forte economia que estava adormecida nas águas brasileiras”.

 

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.