Pesca amadora entra em novo e instigante ciclo, diz Ministro em encontro nacional

Na manhã desta quarta-feira, dia 1 º de setembro, o ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, prestigiou a abertura do I º Encontro Nacional da Pesca Amadora, em Brasília. O encontro reúne de forma inédita e histórica, conforme as palavras proferidas pelo ministro em seu discurso, mais de 200 participantes de todo o País, em grande parte eleitos nos estados para representar os diversos segmentos que compõem a pesca amadora brasileira. Entre os representantes se encontram profissionais ligados à pesca amadora por atividades correlacionadas, como a indústria, o comércio, a imprensa especializada e o turismo.

O Ministro Altemir Gregolin afirmou que o I º Encontro Nacional da Pesca Amadora representa o coroamento de uma estratégia que se iniciou com a criação do ministério, em meados de 2009. Desde então, a pasta passou a defender a inclusão da pesca amadora entre as suas competências, para destacar a importância desta atividade e ainda fazer a interface com a pesca comercial e a aquicultura, que compartilham muitas vezes os mesmos recursos hídricos e de pesca.

“Ao encerrarmos o ciclo da institucionalização entramos em outro ciclo ainda mais instigante, que é a identificação atores da pesca amadora, a discussão da legislação e o estabelecimento das políticas de desenvolvimento para este segmento”, resumiu.

Compareceram à abertura do evento o Secretário Nacional de Políticas de Turismo, Carlos Silva, que representou o ministro do Turismo; Luiz Eduardo Barreto; o Secretário Executivo do Ministério da Pesca e Aquicultura, Cleberson Zavaski; o Chefe de Gabinete do MPA, Valteci Ribeiro de Castro Júnior; e todos os quatro secretários da Pesca e Aquicultura do ministério – José Claudenor, Karim Bacha, Eloy de Souza Araújo e Felipe Matias.

A abertura também contou com a presença do Coordenador Geral do I º Encontro Nacional da Pesca Amadora, Carlos Alexandre Gomes de Alencar; do Coordenador de Recursos Pesqueiros do Ministério de Meio Ambiente, Roberto Galucci; do Presidente da Associação de Pesca Esportiva de Goiás (APEGO) e de um dos pioneiros da pesca esportiva no Brasil, Rubens de Almeida Prado.

PROGRAMAÇÃO

Na parte da tarde desta quarta-feira, as comitivas estaduais da pesca amadora, bem como os superintendentes federais da Pesca e Aquicultura, que representam o Ministério da Pesca e Aquicultura nos estados, estão discutindo as principais questões ligadas ao tema.

Foram criados quatro grandes grupos de discussão: Fortalecimento Institucional e Monitoramento, Controle e Registro (Licenças), Formação Profissional e Promoção e Divulgação da Pesca Amadora; Ordenamento Pesqueiro e Marco Regulatório e Pesquisa & Desenvolvimento e Promoção Comercial e Linhas de Crédito. As discussões são acompanhadas por moderadores e levam em conta as sugestões levantadas pelo setor ao longo do processo de organização do encontro.

Conforme a programação do I º Encontro Nacional da Pesca Amadora, na manhã desta quinta-feira, dia dois de setembro, último dia do evento, será realizada, entre as 8h30 e às 10 horas, uma mostra de trabalhos do setor da pesca amadora, como documentários e programas de TV. Entre as 10h15 e às 12h30 a plenária se reunirá para a apreciação das emendas. Na parte da tarde, entre as 14 e as 16 horas, a plenária retomará o trabalho de aprovação ou rejeição das emendas sugeridas pelos grupos de trabalho. O encerramento final está previsto para as 18 horas

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. nos temos que preserva a amazonia porque tem muitos bichos em extinçao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.