Operação Piracema no São Francisco

No dia 28 de fevereiro, teve encerramento o período defeso na Bacia do Rio São Francisco, que contou com diversas operações de fiscalização realizadas pela Gerência Executiva do Ibama em Barreiras/BA. Ao longo desses quatro meses, foram feitos esforços para controle da pesca não só na calha do Rio São Francisco, como também no Rio Grande e Carinhanha, afluentes do “velho Chico” e com importância significativa nos berçários de espécies como o Surubim (Pseudoplatystoma corruscans) e do Dourado (Salminus franciscanus), sendo os principais alvos de pesca durante a Piracema (palavra de origem Tupi-Guarani que significa o deslocamento dos peixes em direção às nascentes para efetivar sua reprodução).

As operações foram empreendidas por terra e no leito dos rios, além de verificação das lagoas marginais, consideradas os berçários dos peixes. Na calha do Rio São Francisco, no distrito de Gameleira, município de Sítio do Mato/BA e na lagoa marginal (Jatobá) no município de Muquém do São Francisco/BA, foram apreendidos aproximadamente 800 metros de rede. Para o analista ambiental da Gerex, Sérgio Moreno, “não há que se falar em desconhecimento do período do defeso, ainda mais nos últimos anos, quando o Ibama empreendeu esforços no Censo Estrutural da Pesca realizando diversos encontros com as colônias de pescadores da região, conscientizando a todos do papel da piracema”.

Ao final da “Operação Piracema no São Francisco” foram acumuladas apreensões de petrechos de uso proibido, além de meia tonelada de pescado que continha espécies capturadas recentemente (frescas) e outras de tamanho inferior ao mínimo permitido. Todo o pescado apreendido foi imediatamente doado a instituições com fins beneficentes.

Sabemos que as operações planejadas para a bacia do São Francisco são fundamentais para a manutenção e garantia das espécies, tanto no leito do rio, incluindo seus afluentes, mas principalmente nas lagoas marginais, onde ocorre o maior número de estágios do ciclo biológico dos peixes”, afirmou o gerente executivo do Ibama em Barreiras, Zenildo Eduardo.

Ascom/Gerex/Barreiras

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.