Ministério da Pesca define ações em parceria com Secretarias do Rio para desenvolver a atividade

A sintonia do Ministério com o Governo do Estado vai facilitar a retomada na Região Serrana das áreas de truticultura atingidas

Muitas ações foram definidas no encontro da ministra da Pesca e Aquicultura, Ideli Salvatti, com os secretários estaduais de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, e do Ambiente, Carlos Minc, no Centro do Rio, nesta sexta-feira (18/03).

A atividade de aquicultura da Região Serrana será exemplo para todo o estado. O Governo do RJ e o MPA se uniram num projeto inédito para promover o licenciamento ambiental, em curto espaço de tempo, objetivando viabilizar o acesso ao crédito pelos produtores.

“A sintonia do Ministério com o Governo do Estado vai facilitar a retomada na Região Serrana das áreas de truticultura atingidas, possibilitando aos produtores linhas de crédito, com a proposta de um formulário auto-aplicativo já utilizados em outros setores, e garantindo a retomada da produção”, afirmou a ministra.

O secretário Felipe Peixoto também apresentou à ministra os possíveis locais para instalação do Terminal Pesqueiro Público.

“Apresentamos fotos aéreas da Baía de Guanabara para a ministra. Algumas áreas como Niterói, São Gonçalo e Ilha do Caju foram cogitadas, mas ainda iremos fazer visitas in loco e conversar com as prefeituras. Nada ainda foi definido. É importante haver este entendimento entre todos os Poderes e as comunidades locais”, diz Peixoto.

A dragagem do canal do Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar) de Niterói será viabilizada pela Secretaria do Ambiente. Minc se comprometeu também a ajudar na retirada de barcos que estão abandonados nessa localidade. Esta ação é fundamental para que o Cipar entre em funcionamento, já que a obra está concluída e todos os equipamentos instalados.

“Já estamos em entendimento com a Capitania dos Portos, que se dispôs a retirar essas embarcações”, acrescentou Minc.

MPA

Veja também

Amazonas – 3,5 mil filhotes de quelônios são soltos na natureza

O projeto Pé-de-Pincha, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), realiza o manejo comunitário de quelônios …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.