Lagoa dos Patos – Pelotão Ambiental faz novas apreensões

Indivíduos presos estavam praticando pesca através de redes de arrasto de porta, bem como utilizavam berimbaus e petrechos cuja utilização é proibida

A Operação Centauro de Combate à Pesca Ilegal na Lagoa dos Patos realizou, na madrugada de hoje, 9, a apreensão de duas embarcações, uma rede com duas planchas, seis berimbaus, três facas, um liquinho e 30 quilos de camarão, além da prisão de três pessoas. A operação mobilizou oito policiais militares do Pelotão Ambiental do Rio Grande, duas embarcações e duas viaturas leves, que vasculharam as águas do Sul do Estado, a partir do píer do Museu Oceanográfico da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) para combater a pesca ilegal do camarão.

Os crustáceos foram encaminhados ao programa Mesa Brasil do Sesc para serem doados a entidades assistências cadastradas na região. Segundo a nutricionista Alessandra Plastina Wetzel, que responde pelo projeto em Rio Grande, desde o início das operações do Pelotão Ambiental, no início do ano, os crustáceos arrecadados já beneficiaram 21 instituições.

De acordo com o comandante do 2º Pelotão Ambiental do Rio Grande, tenente Humberto da Rocha Romano, os indivíduos presos estavam praticando pesca através de redes de arrasto de porta, bem como utilizavam berimbaus e petrechos cuja utilização é proibida no Estuário da Lagoa dos Patos. As proibições têm amparo no Inciso II do Art. 34 da Lei de Crimes Ambientais nº 9605/98 e Instrução Normativa Conjunta Nº 3 do MMA. Segundo o comandante, só nestas primeiras semanas do mês de fevereiro, foram apreendidas duas embarcações e 300 quilos de camarão, além disso, seis pessoas foram presas. A penalidade para este tipo de infração pode chegar a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

O trabalho de fiscalização do Pelotão Ambiental do Rio Grande continua na Lagoa dos Patos, proibindo o arrasto de qualquer natureza, seja redes de porta, pauzinho, trolha, caracol, coca ou qualquer outra denominação, conforme previsão legal. Também será observada a malha da rede (aviãozinho), que deve ser superior a 2,4 cm, bem como a Licença de Pesca e Carteira de Pescador Profissional, que é fornecida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), respectivamente.

O Pelotão Ambiental orienta à comunidade que denuncie caso tiver conhecimento de crimes atentatórios a fauna, a flora, a poluição, a mineração, a produtos perigosos entre outras ocorrências ambientais, através do telefone 3235.4702.

jornalagora.com.br

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.