Festival de Pesca reúne competidores nas águas do Rio Jaguaribe.

[ad#banner_468_60] Cerca de 100 competidores de Itaiçaba e cidades da região Jaguaribana participaram da tradicional Pescaria

Itaiçaba. Sol forte e muita pescaria nas águas do Rio Jaguaribe. Crianças, jovens e adultos de Itaiçaba e de outros municípios Jaguaribano movimentavam a foz do maior rio seco do mundo, como é conhecido o Jaguaribe. A agitação acontecia na barragem da cidade, durante o Festival da Pescaria, realizado pela Secretaria Municipal de Agricultura.

Teve quem pescasse peixe grande, pesado e em muita quantidade. Outros, nem tanto. Mas o que valia mesmo era aproveitar a diversão no rio. O domingo marcado pelo Dia da Independência reservou uma atividade curiosa para os moradores de Itaiçaba e redondezas. O Festival de Pescaria premiou, em dinheiro, aqueles que pescaram os maiores peixes, os mais pesados, os primeiros e até a história de pescador. Mas a competição era uma motivação para a brincadeira.

No Beira-Rio, barracas lotadas, jogo de vôlei, venda de comidas e bebidas, conversa embaixo das árvores, passeio de barco, música e muita pescaria. Enquanto os competidores lutavam em busca do primeiro lugar, muitas crianças aproveitaram o evento para tomar banho e brincar no parque aquático. Às margens do rio, alguns participantes montaram barracas de camping. Depois da pescaria, a movimentação foi na praça da Prefeitura Municipal. Duas bandas de forró animavam os visitantes.

Município

Localizado a 164km de Fortaleza, Itaiçaba tem, no artesanato de palha, uma das suas principais fontes de renda. Mas é na produção do peixe de água doce que o município, de apenas nove mil habitantes, se destaca. A festa da pescaria, que reuniu cerca de 100 competidores de Itaiçaba e de outras cidades da região, é a oportunidade que a Prefeitura tem de promover a pesca artesanal, atrair gente, animar a cidade e fortalecer o turismo rural.

Durante dois dias, a movimentação na cidade foi intensa. Na festa da pescaria, teve de tudo: churrasco de peixe, pirão de peixada e, como não poderia faltar, uma boa e quase verídica história de pescador. O objetivo da festa é fortalecer a cadeia produtiva da piscicultura e incrementar as alternativas de produção. Os resultados do evento, além de divulgar a área onde existe um grande potencial para o turismo, também chama a atenção para o trabalho das famílias que incentivam o consumo da culinária à base de peixe.

Resultados

Na categoria Rede, o primeiro peixe fisgado foi um bagre, de 40 centímetros. Nessa modalidade, o vencedor foi Mizael Lima. O maior peixe e o mais pesado foi um tambaqui. Ele media 80 centímetros e pesou 15,9kg. Os vencedores na categoria foram Moacir Lima e Raimundo Barbosa. Na categoria Anzol, o primeiro peixe fisgado foi um tucunaré, que mediu 24 centímetros. O maior peixe ficou para Aleiton Moreira que pescou um mussum de 84cm. Já o mais pesado foi um cará, de 550 gramas e a premiação foi para Francisco Ivanildo.

Fonte : Diário do Nordeste

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

2 Comentários

  1. a população pede para trazer bandas melhores

  2. amei ler seu artigo, tentei assinando o feed RSS, mas eu não podia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.