Embrapa Meio-Norte avança com projetos de aquicultura e pesca

O primeiro projeto, da Rede Nacional de Carcinocultura, é Métodos alternativos de cultivo do camarão marinho

A Embrapa Meio-Norte avançará este ano na área de aquicultura e pesca, participando de dois projetos em rede nacional. As ações serão desenvolvidas na Unidade de Execução de Pesquisa do município de Parnaíba, a 348 quilômetros ao norte de Teresina. O pesquisador Laurindo Rodrigues, coordenará os trabalhos.

O primeiro projeto, da Rede Nacional de Carcinocultura, é Métodos alternativos de cultivo do camarão marinho, liderado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. A coordenação geral é do professor-doutor Paulo de Paula Mendes.

O projeto tem um orçamento global de R$ 1.142.358,32, e será financiado pelo Tesouro Nacional, através do Ministério da Ciência e Tecnologia. A participação da Unidade será com o subprojeto Avaliação da sustentabilidade do cultivo de camarões, que tem um orçamento de R$ 133.404, 00. A Universidade Federal do Piauí e o Instituto Federal do Espírito Santo também participam das ações.

No segundo projeto, com o título Indicadores de sustentabilidade, das Redes Nacionais de Pesquisa em Agrobiodiversidade e Sustentabilidade Agropecuária, a participação da Embrapa Meio-Norte será ampla. Liderado pela Universidade Estadual Paulista, o projeto será coordenado pelo professor-doutor Wagner Cotrone Valenti.

Com um orçamento de R$ 999.472,12, recursos também do Tesouro Nacional, o projeto terá a participação de 32 pesquisadores de 15 instituições, que avaliarão 22 sistemas de produção nas regiões norte, nordeste, sul e sudeste do Brasil.

Nesse projeto, a Unidade participará, juntamente com a Universidade Federal do Piauí, de dois subprojetos. São eles: Sistema de produção de camarão marinho de médio porte no estado do Piauí e Sistema de tambaquis em viveiros de fundo natural no estado do Piauí. O orçamento dos subprojetos é em torno de R$ 60 mil.

A professora-doutora Michelle Pinheiro Vetorelli, da Universidade Federal do Piauí, coordenará o subprojeto Sistema de produção de tambaquis em viveiros de fundo natural.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.