Despesca de 596 kg de tilápia beneficia povoado de Impueira, em Estrela de Alagoas

Programa Água Doce trouxe geração de renda para comunidade

Os moradores do povoado Impueira, no município de Estrela de Alagoas, foram beneficiados nesta sexta-feira (22) por mais uma despesca feita na Unidade Demonstrativa do Programa Água Doce. De um dos tanques-criadouros foram retirados 596 kg de peixe da espécie tilápia negra, que vão servir de alimento para a comunidade local, que tem a oportunidade de comprar o pescado por um preço bem abaixo do mercado.

Essa foi a quarta despesca realizada no povoado de Impueira, que tem feito a retirada dos peixes de um dos viveiros a cada três meses. Na próxima semana, o tanque esvaziado nesta sexta-feira já será repovoado para que a alimentação de centenas de famílias que vivem no entorno da Unidade Demonstrativa seja garantida.

De acordo com a coordenadora do Programa em Alagoas, Amanda Lima, antes da implantação do Água Doce no Estado, a comunidade de Impueira sofria com a falta de água potável e de energia elétrica, além de não ter o hábito de consumir peixe, que se configura em uma alimentação saudável.

“Hoje, a comunidade bebe água de qualidade. Além disso, para que a unidade fosse implantada no local foi necessária a instalação de energia elétrica, que também foi estendida para casas da região”, conta Amanda.

Outro benefício trazido pelo Água Doce, segundo a coordenadora, é a reutilização da água do concentrado, que depois de passar pelos tanques serve para irrigar a plantação destinada à alimentação animal. “Quando chega o verão, a comunidade sofre com a seca e, com a reutilização da água para irrigação, o alimento dos animais fica garantido”, afirma.

Cerca de mil famílias vivem no entorno do povoado Impueira. Desse total, mais de 150 estão cadastradas no Água Doce. “A cada visita, percebemos que aumenta o número de famílias cadastradas”, destaca.

O dinheiro para manutenção dos tanques é arrecadado com a venda dos peixes realizada na comunidade. Cinquenta por cento do valor da venda é destinado à compra de ração, 30% vai para o pagamento das pessoas responsáveis pelos trabalhos realizados na Unidade – como alimentação dos peixes e irrigação – e os outros 20% restantes são direcionados para pequenos reparos e manutenção das Unidades Demonstrativas.

O Programa Água Doce é executado em Alagoas por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). Atualmente, o programa vem sendo executado nos municípios de Santana do Ipanema, Estrela de Alagoas, Palmeira dos Índios e Igaci. De acordo com Amanda Lima, o Estado já garantiu, junto ao governo Federal, recursos da ordem de R$ 1,5 milhão para que outras 24 comunidades sejam beneficiadas.

Técnicos do Estado estão realizando testes de vazão dos poços para ver a viabilidade de implantação do programa nas novas comunidades selecionadas. A compra de material e a questão da legalização e documentação também estão sendo agilizadas.

Por meio do Água Doce, membros da comunidade passam por capacitações e aprendem a executar todo o processo de criação de peixes e manutenção dos tanques. Um grupo gestor é formado na comunidade e as atividades são distribuídas entre eles. “As capacitações são constantes e o acompanhamento do programa é feito com freqüência”, afirma Amanda.

Agência Alagoas

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.