Bahia – Lançado em Itiúba plano estadual para a aqüicultura


Cercado por serras, montanhas e açudes, o município de Itiúba, no semi-árido baiano, na região do Piemonte da Diamantina, foi o local escolhido pelo Estado para o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Aqüicultura da Bahia, realizado neste sábado (14), pelo governador Jaques Wagner.

Inicialmente, dois projetos intitulados Povoamento Racional de Aguadas Públicas e Unidades Demonstrativas de Piscicultura em Tanques Redes irão ser implantados em 144 municípios de 17 dos 26 Territórios de Identidade baianos. A execução dos projetos, coordenados pela Bahia Pesca em parceria com a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), ficará a cargo das universidades públicas estaduais Uneb e Uesb, num total de R$ 10 milhões de investimento para um público de beneficiados estimado em 60 mil famílias. O apoio financeiro é do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), gerido pela casa Civil.

A escolha por Itiúba é estratégica e simbólica. Com, cerca de, 36 mil habitantes e uma economia fortemente mantida pela atividade primária ( agricultura e extração de minérios), o município possui um dos maiores açudes baianos, o Jacurici, com 168 milhões de m³ de água e 40 quilômetros de extensão, localizado no povoado de Rômulo Campos. Além de ser o principal manancial para abastecimento d’água da região, já foi considerado um dos reservatórios de maior índice de piscosidade. Há cerca de dois anos, organizados, pescadores artesanais se transformaram em empreendedores do setor de piscicultura.

O projeto de Povoamento de Aguadas Públicas fará a distribuição de 42,3 milhões de alevinos em pequenas barragens, reservatórios e açudes de 122 municípios, potencializando a atividade pesqueira com o aproveitamento dos recursos hídricos locais. Nos 3 primeiros anos, a produção pode atingir 4,3 toneladas de peixe. Já o de Unidades Demonstrativas de Piscicultura, implantará 32 tanques redes com produção de pescado, com a participação de 900 famílias de diversos territórios.

Segundo Aderbal de Castro, diretor-presidente da Bahia Pesca, a estado da Bahia tem 300 grandes barragens, com volume acima de 40 milhões de m³ e potencial para a piscicultura. “Para aumentar a eficiência do processo, vamos iniciar o povoamento com alevinos em tanques redes, onde serão mantidos por até 50 dias, e depois eles serão soltos nas barragens levando-se em consideração fatores químicos, físicos e biológicos dos açudes”, explicou.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. Lea Suely Borba Antunes

    Temos uma propriedade rural em Itororó-Ba com açudes, nascentes perenes de água doce, onde gostaríamos de implantar a piscicultura para agregar valores á propriedade onde criamos gado de corte, gostaria de obter informações sobre esta atividade, onde adquirir os alevinos, tanques redes etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.