Acontece em Salvador a segunda etapa de construção da Política Nacional de Associativismo na Pesca

Agora é a vez do Nordeste. Representantes da Pesca Artesanal e Aquicultura Familiar se reúnem entre os dias 19, 20 e 21 de agosto em Salvador no Hotel Vila Mar em Amaralina para participar de mais uma etapa regional de construção da Política Nacional de Associativismo na Pesca e Aquicultura. O evento é fruto de uma parceria entre o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e o Núcleo de Solidariedade Técnica (SOLTEC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Estão representados os Estados do Ceará, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí e Maranhão. O coordenador executivo da Soltec, Flávio Chedid, destaca a importância de o ministério abrir espaço para ouvir o setor pesqueiro. “Eles tem que participar, visto que são os mais interessados. Essa forma de construção da política vai permitir que as demandas sejam bem próximas do que os pescadores artesanais e aquicultores familiares necessitam e também vai fazer com que as pessoas se comprometam na execução do Plano Nacional de Associativismo já que participaram desde o início da sua construção”, destaca.

Alguns dos eixos discutidos na plenária Nordeste serão: infraestrutura e crédito, comercialização, educação para o associativismo e consciência ambiental, legalização, fiscalização e organização social e política entre outros. Durante a programação está previsto um momento, no sábado (21) às 17 horas, para o diálogo com participantes do encontro nacional que será aberto a todos.

A etapa Sul e Sudeste aconteceu em julho, no Estado do Rio de Janeiro. A próxima será a Norte e Centro-Oeste e acontecerá em Brasília. Após levantar dados de todas as regiões serão eleitos membros de cada uma delas para representarem seus companheiros na etapa nacional do processo que deverá ocorrer no Distrito Federal.

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.