Zoneamento marinho do litoral é destaque em conferência em Curitiba

Desenvolvimento sustentável do litoral do PR é mostrado em conferência internacional (informações: Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos)

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos expõe, até esta sexta-feira (13), suas ações para o desenvolvimento sustentável da costa paranaense. O Programa Zoneamento Marinho do Paraná “Mar e Costa” é o primeiro a integrar o portal do Sistema de Informações do Gerenciamento Costeiro e Marinho (Sigercom), do Ministério do Meio Ambiente. Ele é apresentado na 9.ª Conferência Internacional sobre Recifes Artificiais e Habitats Aquáticos Relacionados, realizada em Curitiba, desde segunda-feira (8). O evento é promovido a cada quatro anos em um país do Hemisfério Sul.

As baías de Paranaguá, Guaratuba, Antonina e Guaraqueçaba – com 52 mil quilômetros quadrados – abrigam um dos mais ricos sistemas marinhos do mundo. Segundo o secretário do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues, os ecossistemas costeiros e marinhos do Paraná são extremamente ricos em biodiversidade. “É muito importante que tenhamos ações voltadas a sua conservação devido à constante pressão da atual dinâmica de uso e ocupação da área litorânea.”

Nesta quinta-feira (12), o coordenador estadual do Programa Paraná Mar e Costa, Paulo Roberto Castella, e técnicos da Secretaria participam do workshop “Recifes Artificiais como Ferramenta Alternativa para a Gestão Ambiental e Socioeconômica na Zona Costeira Brasileira.” Os recifes são estruturas sólidas que servem de habitat para organismos marinhos. Eles podem ser de origem natural, como os feitos pelos corais, ou artificiais, fabricados com galhos, pedras e até mesmo navios e outras estruturas de metal, afundadas.

Castella explica que o Programa paranaense atua no desenvolvimento sustentável e busca a qualidade ambiental das áreas litorâneas, localizadas no estuário lagunar paranaense. Para garantir a proteção do estuário, a Secretaria do Meio Ambiente construiu um sistema de informações com dados de navegação, diagnósticos dos meios físico, químico e biológico, levantamento de maricultura e pesca e contaminação da água. É um dos levantamentos mais completos do País. “Entre as atividades do programa está o licenciamento ambiental para produção de ostras e mariscos – nunca antes idealizado no Paraná – e o monitoramento da qualidade ambiental em toda área costeira do Estado”, conta Castella.

A partir das ações do Programa o CD Paraná Mar e Costa – Subsídios ao Ordenamento das Áreas Estuarinas e Costeiras do Estado foi produzido, para divulgar o trabalho realizado. O programa traz informações sobre as potencialidades e fragilidades de cada área ou ecossistema e de cada uma das 103 comunidades ribeirinhas que habitam o litoral paranaense.

PARTICIPAÇÃO – A Secretaria também está com um estande montado na 9.ª Conferência Internacional sobre Recifes Artificiais e Habitats Aquáticos Relacionados. O zoneamento marinho está sendo apresentado por meio de exposição fotográfica.

O diretor executivo da ONG MarBrasil – que trabalha com recifes artificiais, em Pontal do Sul, Alexandre Rycheta Arten, destaca que é muito importante para o Paraná sediar um evento deste porte. “Especialistas renomeados expõem temas que amadurecerão nosso conhecimento sobre corais.”

O evento acontece até o próximo dia 13 de novembro na Sala de Eventos do Teatro Positivo – Pequeno Auditório.

Fonte: Agência Estadual de Notícias – 12/11/2009 15:22:01
SEAE

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.