Varas de Pesca

Existe uma infinita variedade de varas de pesca à venda nas lojas especializadas que vão desde a tradicional vara de pesca de bambu até as produzidas a partir de fibras e mistura de fibras como as de carbono e grafite e outros materiais, como o kevlar, por exemplo, e estão cada dia mais leves e resistentes.

A não ser pelo seu baixo custo, varas de bambu não trazem qualquer benefício para o pescador e arremessos na beira da praia (surfcasting), portanto somente iremos discorrer sobre as varas produzidas a partir de fibras sintéticas.

Quanto ao Tamanho

O fator determinante de um bom arremesso não é, como muitos pensam, a altura da vara e sim a aceleração que se consegue imprimir à chumbada ao arremessa-la. Os tamanhos mais indicadas para o surfcasting devem ter entre 7 e 12 pés (2,10 e 3,65 m.), confeccionados em grafite de carbono ou tramas de fibras mistas com capacidade de carga de lançamento (casting weight) entre 30 e 250 gramas.

De modo geral, varas com tamanhos superiores a 12 pés são desaconselháveis por serem mais lentas e pesadas, cansam o pescador alem de desbalancear o ponto de apoio e aumentar o efeito de alavanca na mão deste. Em teoria, somente pescadores de compleição física avantajada podem tirar vantagem das varas acima desta medida.

Potência e Ação

Potência é a capacidade de carga de lançamento (casting weight), ação é o trabalho da vara, ou seja, a propriedade de curvar-se e voltar a posição de inércia. Estes dois fatores combinados determinam a capacidade da vara em catapultar a chumbada.

 

acaovara.gif

  • A – Ação Ultra Rápida – Curva-se somente na parte da ponta.
  • B – Ação Rápida – Curva-se na terça parte superior da vara.
  • C – Ação Média – A curvatura estende-se em toda a metade superior.
  • D – Ação Lenta – Curvatura progressiva em todo a vara.

Escolhendo suas Varas de Pesca

Primeiro precisamos definir as distâncias dos arremessos. Para tal usaremos os conceitos de Beira, Meia e Fundo. A pescaria de Beira será aquela onde os arremessos são feitos entre linha d’água (onde termina a areia) da praia até 40 metros, a pescaria de Meia é a praticada entre 40 e 80 metros e a Pesca de Fundo são aquelas de arremesso superior a 80 metros.

Vara de Beira – Devem ter entre 7 e 9 pés (2,10 e 2,75 m.), leves, sensíveis porém firmes, sua ação deve variar entre rápida e ultra rápida, com casting entre 30 e 80 gramas.

Vara de Meia – Entre 9 e 11 pés (2,75 e 3,30 m.), resistentes e o mais leve possível, de ação rápida e casting entre 80 e 110 gramas.

Vara de Fundo – Entre 11 e 12 pés (3,30 e 3,60 m.) resistentes e fortes de ação rápida ou ultra rápida e casting acima de 110 gramas podendo chegar até 250 gramas ou mais.

Vale lembrar que existem varas específicas para o uso com carretilhas e varas específicas para o uso com molinetes, e que o uso de uma carretilha numa vara de molinete impede o bom funcionamento do conjunto e o inverso também ocorre.

Observação:

Quando adquirir uma vara de pesca tenha certeza da sua compra. Confira o casting, a composição e se o tamanho atende suas necessidades (estas informações estão impressas no próprio caniço). Verifique a ação da vara, a qualidade dos passadores, do prendedor de molinete e a montagem destes. Lembre-se: quem compra errado compra duas vezes.

Muitas vezes uma boa vara de pesca vem equipada com passadores de má qualidade (talvez por economia dos custos de fabricação), para estes casos é aconselhável e até indicado substitui-los por outros de qualidade superior.

Para conservar sua vara de pesca, lave-a com esponja e detergente a cada utilização, especialmente nos passadores e ponteira para evitar o aparecimento de pontos de corrosão, retire o excesso de água e deixe secar ao ar livre.

 

Veja também

Fiscalização Secima

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …