Terminal pesqueiro, linhas de crédito e organização da cadeia produtiva do Rio de Janeiro

Temas debatidos nos encontros no nono Estado visitado pela ministra Ideli Salvatti

Na reunião, realizada no Palácio Guanabara, na tarde desta segunda-feira, (28/02), a ministra da Pesca e da Aquicultura, Ideli Salvatti frisou: é de suma importância reerguer a truticultura na Região Serrana, atingida pela tragédia das chuvas de janeiro, como medida emergencial. Outras comunidades estão sendo também contempladas na política de fomentar esta importante cadeia produtiva, conforme discussões e proposições recebidas por lideranças do estado, durante os dois encontros realizados na cidade. Pela manhã, mais de 80 lideranças estiveram na sede da Superintendência do MPA, onde a ministra ouviu todas as manifestações.

No mesmo dia, à tarde, a ministra esteve com os representantes do Governo do Estado do Rio de Janeiro, onde foram apresentadas as demandas debatidas com o setor. “Foi mais de 1 hora de reunião, com as presenças de dois secretários de estado, de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, Felipe Peixoto, e do Meio Ambiente, Carlos Minc.

Ficaram definidas dentre várias ações, as necessidades imediatas para a retomada da produção dos produtores da região serrana. “A truticultura é extremamente importante para os produtores e consumidores do Rio de Janeiro. Já é uma atividade bastante rentável e temos que reestruturar a categoria, assim como garantir linhas de crédito para reerguer os empreendimentos atingidos e resolver esta situação o quanto antes”, sinalizou Ideli Salvatti. O debate entrará na agenda ainda este mês com o BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

No próximo dia 17, a ministra volta ao Estado, quando abordará novamente o assunto. Na oportunidade, vamos discutir todas as demandas da categoria, como dos truticultores da região serrana e vamos também tratar da situação dos pescadores em dois grandes empreendimentos: CSA, na baía de Sepetiba, e Porto Açu, em São João da Barra”, explicou.

Terminal Pesqueiro Público (TPP)

Outro assunto abordado foi a urgência na instalação do Terminal Pesqueiro Público (TPP) no estado. A ministra Ideli Salvatti enfatizou: o ministério está pronto para atuar em parceria com o Estado e municípios “É urgente a organização do setor e que sejam cumpridas as exigências e normatizações do processo de produção, acondicionamento e comercialização”, ponderou a ministra.

Doação de enlatados para a Região Serrana

Um caminhão carregado de cinco toneladas de pescados enlatados, cestas básicas e roupas foi entregue para doação pela própria ministra no Pavilhão do Peixe, na Ceasa de Irajá, no fim da tarde desta segunda-feira. O destino é a Região Serrana. A iniciativa, resultado de uma mobilização do Conselho Nacional de Aquicultura e Pesca (Conape), foi do Sindicato da Indústria da Pesca de Itajaí, SC (Sindipi). Ideli Salvatti frisou que esta ação é uma retribuição pela ajuda feita às cidades catarinenses após a tragédia das chuvas em 2008. O secretário de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca explicou como será a entrega dos donativos. “A Ceasa irá entrar em contato com as prefeituras das cidades serranas atingidas pelas chuvas de janeiro antes de enviar os enlatados. Queremos transparência no processo de doação,” disse Peixoto. O presidente da Ceasa RJ, Leonardo Brandão, é o responsável pelo envio do material a Serra.

 

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.