Sorocaba – Festival de pesca celebra rio limpo

É muito bom ver o Rio Sorocaba limpo outra vez”, disse o tapeceiro Clodoaldo José de Oliveira

Munidos de vara, isca e outros apetrechos, 259 pescadores ocuparam a margem do rio que dá nome à cidade, em Sorocaba e, durante quatro horas, puderam confirmar que o rio voltou a ter vida. Centenas de peixes foram fisgadas e devolvidas à água durante o 2º Festival de Pesca Esportiva. Todos sobreviveram, já que a regra era usar anzóis com a farpa amassada para não ferir os espécimes. Uma tilápia de 43 cm foi o maior peixe fisgado, mas, em quantidade, venceu o lambari, peixe sensível à poluição. Houve ainda quem pegasse traíras e bagres. Um pescador tirou do rio um cágado, pequena tartaruga aquática. Outros avistaram um jacaré de 1,20m.

Rio-SorocabaO evento celebrava o fim da poluição, após um processo de despoluição que levou 15 anos e exigiu investimento de R$ 150 milhões, sobretudo em tratamento de esgotos. De acordo com o ambientalista Jorge Alvarenga, da Associação Consciência Ambiental de Sorocaba, que organizou o festival autorizado pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, o objetivo de reatar os laços entre os moradores e o rio foi alcançado. Cerca de mil pessoas se envolveram na pescaria e muitas ajudaram a recolher lixo nas margens.

“É muito bom ver o rio limpo outra vez”, disse o tapeceiro Clodoaldo José de Oliveira, de 39 anos, um dos pescadores. “O mau cheiro acabou e os peixes são bons até para comer”, afirmou o pintor Vanderlei Luz, 32. A pescaria aconteceu num trecho de 2,5 km do rio entre a ponte do Pinga-Pinga e o Parque das Águas que, desde o ano passado, foi liberado para a pesca esportiva pela Polícia Ambiental. Todos os participantes receberam a licença para pesca amadora. O projeto de despoluição do rio Sorocaba teve início no final da década de 1990 com a instalação de interceptores de esgoto ao longo dos afluentes urbanos. Para tratar os 50 milhões de litros que a cidade produz por dia foram construídas 17 estações elevatórias e sete estações de tratamento. Antes de cortar a área urbana de Sorocaba, o rio passa por Votorantim que também já trata 65% dos esgotos.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.