Rio São Francisco é povoado com espécie nativa ameaçada de extinção

O rio São Francisco receberá cerca de 10 mil micro-alevinos de um peixe natural de suas águas, mas que está em processo de extinção: o surubim (também conhecido como “pintado”), de difícil reprodução em cativeiro. O sucesso da iniciativa deve-se ao “Projeto Surubim” realizado pela Secretaria de Agricultura do Estado – Seagri, através da Bahia Pesca, que visa repovoar a bacia do São Francisco com a espécie.

O início do peixamento do Velho Chico acontecerá dia 29 de junho, na cidade de Santana (a 813 km de Salvador), e fará parte das comemorações do Dia do Pescador na Bahia.

“O surubim é um peixe típico dessa região, mas sua população foi reduzida consideravelmente devido a sobrepesca e a práticas predatórias. Não podemos permitir que a espécie ‘baiana’ se perca”, conta o diretor-presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli. Até dezembro o rio deverá receber 10 milhões de alevinos.

A pesquisa da Bahia Pesca teve início em 1999, com a captura dos peixes na região de Guanambi. Os animais passaram por um longo período de aclimatação na estação de piscicultura de Joanes II (em Camaçari), que envolveu a manutenção dos peixes em tanques com água de parâmetros similares aos do São Francisco, treinamento alimentar (para se adaptarem à ração), fertilização e um período nas incubadoras. Na ocasião do peixamento, o material genético obtido em Joanes será transferido para a estação de piscicultura de Porto Novo (na cidade de Santana-BA), às margens do Rio Corrente, afluente do São Francisco.

“Com a reprodução do pintado em cativeiro poderemos dar continuidade ao repovoamento do rio, já que o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) só permite a introdução de peixes piscívoras se eles forem originários da bacia hidrográfica que receberá o peixamento”, comemora Albagli.

Considerando-se os vários tipos de surubim existentes, a Bahia é o maior produtor da espécie no Brasil, com produção superior a 2 mil toneladas em 2007 (segundo dados do Ibama), o que equivaleu a mais de R$ 10 milhões.

O Pintado – Pseudoplatystoma corruscans é o nome cientifico do pintado, o maior surubim da América do Sul. Sua principal característica, que o diferencia do cachara, é o fato de possuir somente pintas espalhadas pelo seu corpo, ao invés de listras ou faixas. Pode atingir cerca de dois metros de comprimento e pesar 90 quilos.

Possui carne saborosa e por isso é muito desejado pelos pescadores do Velho Chico, seu habitat.

Bahia Pesca

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. oi!!!!!!!!esse peise e muito lindo me mandas um filhoti de bagre africanpoara min brigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.