Projeto Robalo participa de evento sobre responsabilidade sócio-ambiental organizado pela Fiesp


Iniciativa colabora para a geração de renda da comunidade pesqueira da região de Paraty e promove o repovoamento marinho local.

O Projeto Robalo, ação desenvolvida pelo Instituto Arruda Botelho (IAB) na região de Paraty (RJ), irá participar da Mostra Sistema Fiesp de Responsabilidade Socioambiental, que acontece de 02 a 04 de agosto no Pavilhão da Bienal, em São Paulo. O evento, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, tem por objetivo divulgar os resultados e a abrangência do investimento social privado e os benefícios proporcionados às comunidades contempladas por tais iniciativas.


Na ocasião, o técnico em aqüicultura Alexandre Gomes Fonseca, que também é responsável pelo Projeto Robalo, será um dos palestrantes do Congresso “Desenvolvimento Sustentável – Oportunidades na Nova Economia”. Ele irá apresentar os benefícios proporcionados à região de Paraty desde que o trabalho foi implantado, em janeiro de 2003, e dará um panorama geral sobre a prática de repovoamento marinho e a importância desta ação para a recuperação dos ecossistemas aquáticos. Sua palestra será realizada no dia 02 de agosto, primeiro dia do evento.

O Projeto Robalo tem por objetivo estimular o desenvolvimento sustentável da comunidade pesqueira de Paraty por meio da geração de renda, colaborar para a recuperação do ecossistema marinho e apoiar a realização de pesquisas científicas. O primeiro passo para alcançar essas realizações é o fornecimento de tanques-redes para as comunidades que vivem da pesca. Eles funcionam como armazenadores submersos de peixes e acabam com a necessidade da utilização de gelo e outros custos de armazenamento e conservação, fazendo com que os pescadores ampliem sua margem de lucro.

Uma vez instalados, os tanques são transformados em verdadeiros berçários marinhos, onde galhos de podas de árvores e vegetação são adicionados nestes compartimentos para simular um ambiente aquático natural. Em conseqüência desta prática, os peixes armazenados passam a se alimentar dos resíduos orgânicos gerados por este ambiente, dispensando a utilização de ração que, em larga escala, poderia poluir as águas. Tal processo acaba por alimentar também outros peixes que, por conta disso, passam a ficar em torno dos tanques. Experiências revelaram que, em regiões onde não havia mais peixes, o ecossistema foi recuperado após a instalação dos tanques-redes.

Evento abrangente – O Congresso “Desenvolvimento Sustentável – Oportunidades na Nova Economia”, que será realizado em todos os dias da mostra, abordará os seguintes tópicos: A Nova Economia e a Sustentabilidade; A Questão Ambiental; O contexto dos micro e pequenos negócios; Marketing Social x Ação Social x Política de Responsabilidade Social; Saúde, qualidade de vida e longevidade x previdência social e Sustentabilidade; Legislação que interferem nas Políticas de Responsabilidade Socioambiental; Certificações: ISO 26000, NBR 16001, dentre outras, Cultura, Esporte e Lazer; e “Todos pela Educação” – espaço de mobilização.

Disposta a agregar todos os setores, a Mostra Sistema Fiesp de Responsabilidade Socioambiental também pretende viabilizar a formação de parcerias e a expansão de projetos já implantados. O evento nasceu da percepção do Conselho Superior de Responsabilidades Social (Consocial) e do Comitê de Responsabilidade Social (Cores), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em criar veículo de comunicação para melhor divulgar as práticas de Responsabilidade Social realizadas pelos diversos setores. Basicamente, hoje as corporações dispõem apenas de seu Balanço Social, que não oferece o alcance nem a repercussão almejados pelas empresas.

Presenças de peso – A Mostra Sistema Fiesp de Responsabilidade Socioambiental reunirá nomes expressivos como o embaixador dos Estados Unidos Clifford Sobel, a socióloga e presidente da Ong Comunitas Ruth Cardoso e o escritor Andrew Savitz, reconhecido internacionalmente como um “guru” da chamada Nova Economia.

O evento será voltado, basicamente, a empresas envolvidas com projetos de responsabilidade socioambiental, governos Federal, Estaduais e Municipais, empresários de pequenas e médias empresas, entidades oficiais, colaboradores, fornecedores, universidades, consumidores, clientes e acionistas.

| Site: www.institutoarrudabotelho.org.br

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.