Projeto destacará país na pesca do atum

Cinco barcos já operam na costa potiguar, e o sexto sai do porto de Natal nos próximos dias com os pescadores formados pelo Senai

Os primeiros alunos formados pelo Projeto Atum Brasil/Japão, no Rio Grande do Norte, receberam os diplomas ontem, marcando o primeiro grande passo para que o Brasil ocupe um lugar de destaque na pesca do atum, disse o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Flávio Azevedo. A Fiern é parceira no projeto.

Os 31 novos profissionais formados pelo Senai, com instrutores japoneses, vão trabalhar em embarcações arrendadas pela empresa potiguar Atlântico Tuna. “É o início de uma caminhada que trará benefícios não só para vocês, pescadores, mas principalmente para a economia do Rio Grande do Norte”, destacou Azevedo, na Casa da Indústria. Ele e o diretor regional do Senai-RN, Rodrigo Mello, entregaram os certificados.

O diretor-presidente da Atlântico Tuna, Gabriel Calzavara, disse que os alunos eram “sementes de uma árvore que vai gerar bons frutos”. Sua empresa já tem experiência na pesca do atum e agora vai trabalhar com tecnologia internacional. Gabriel Calzavara afirmou que o Brasil vive hoje um momento de mudança na pesca oceânica. “Estamos nos preparando para competir com países tradicionais, e o Brasil precisa ser protagonista deste cenário”, comentou Calzavara. O orador da turma, Emerson Luiz, surpreendeu os convidados fazendo um agradecimento em japonês: “Estamos realizando um sonho, e vamos aproveitar esta oportunidade para demonstrar a nossa capacidade de trabalho”.

A formatura foi prestigiada pelo conselheiro de pesca do Japão, Masaaki Nakamura, que veio ao Brasil especialmente para o evento. Ele disse que o governo do seu país dará total apoio na capacitação do pessoal que vai integrar os 16 navios japoneses destinados à pesca do atum no Estado. Cinco barcos já operam na costa potiguar, e o sexto sai do porto de Natal nos próximos dias com os pescadores formados pelo Senai. De acordo com Rodrigo Mello, a expectativa é treinar pelo menos 400 trabalhadores em dois anos, atendendo à demanda de mercado.

Um centro de capacitação de pesca oceânica será construído no município de Santa Cruz, sob o comando do Senai, com simulador de operação de barcos cedido pelo governo japonês para reproduzir as adversas condições no mar.

Tribuna do Norte

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.