Prefeitura de São Luís constrói escola profissionalizante de pesca e aquicultura

O secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Júlio França, acompanhado de técnicos, visitou as futuras instalações da Casa Familiar do Mar, localizada no povoado Taim, zona rural de São Luis. Ele acompanhou de perto os serviços de conclusão da obra da escola profissionalizante de pesca e aquicultura, destinada a qualificar filhos de pescadores artesanais de comunidades ribeirinhas da área metropolitana de São Luís, São José de Ribamar, Raposa, Paço do Lumiar e Alcântara.

O projeto iniciado no primeiro ano da gestão João Castelo é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de São Luís, responsável pelas instalações mobiliárias e aplicação da educação técnica e formal, a Fundação Alumar (obras civis) e a Associação de Moradores do Taim (doadora do terreno).

A experiência da Semapa com a Casa Familiar Rural, que funciona há oito anos no povoado Quebra Pote, levando conhecimento técnico-profissionalizante para jovens filhos de agricultores, chamou a atenção da Fundação Vale, que pretende implantar em São Luís um projeto nesses moldes, destinado a pescadores, com base agrícola, residentes na comunidade Boqueirão.

Os especialistas da Fundação Vale, Cláudia Costa, coordenadora das Estações Movimento da Vale, existente em vários estados brasileiros, incluindo o Maranhão (Arari), e o engenheiro agrônomo Hélio Almeida visitaram, a convite do secretário Júlio França, a obra da Casa Familiar do Mar. O projeto despertou também a curiosidade pela opção da pedagogia da alternância para transmitir conhecimento no processo de aprendizagem, pela preservação, atualização e desenvolvimento da atividade pesqueira na ilha de São Luís.

A Casa Familiar do Mar fica numa área de 100 mil m2 no povoado Taim, a três km da estrada Vila Maranhão X Porto Grande. Tem 1.012m2 de área construída e 1.500m2 de área urbanizada e o restante ficará reservado para a expansão do projeto. A escola conta com quadra de esportes, salas de aula, alojamentos masculino e feminino, laboratórios, biblioteca, oficinas, apoio pedagógico, administração, entre outras instalações. As aulas vão iniciar em 2011 e a pré-seleção dos primeiros alunos vai ocorrer até o final do mês de setembro.

O projeto está orçado em mais de um milhão de reais. Desse total, R$ 640.700,00 serão financiados pela Fundação Alcoa e o restante vem como contrapartida do Tesouro Municipal de São Luís.

Formação rural
A Casa Familiar do Mar formará, a cada dois anos, 40 técnicos especializados em três habilitações: Pesca Oceânica; Aquicultura e Beneficiamento de Pescado. O projeto tem base associativa, com foco na formação para o meio rural, com reflexos extremamente positivos no aprofundamento do conhecimento das características da pesca artesanal praticada na ilha de São Luís e tem como principal objetivo comprovar que a atividade de subsistência pode evoluir e se transformar numa ação sustentável e lucrativa.

Os futuros técnicos formados pela Casa Familiar do Mar vão aprender as técnicas de manutenção das embarcações existentes; construir e dar reparos nos apetrechos de pesca; produzir alevinos para engorda e beneficiamento do pescado e difusão de tecnologia apropriada para a pesca e aquicultura, orientados dentro do método pedagógico da alternância. Os alunos passarão 15 dias na escola (regime de semi-internato) aprendendo novas técnicas e conhecimentos específicos com professores e monitores, para depois, nos 15 dias subsequentes, aplicarem o que assimilaram, quando voltarem para convívio familiar.

A forma associativa escolhida pelo projeto possibilita o engajamento das famílias, dos monitores (formadores) e das organizações públicas e privadas do meio local. A Escola Familiar do Mar de São Luís é a primeira escola de pesca no Brasil (nível profissionalizante) a utilizar a pedagogia da alternância como base de transmissão de conhecimento e obtenção de resultados eficazes.

http://www.saoluis.ma.gov.br

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.