Precisamos nos profissionalizar mais. Cuidar do peixe como cuidamos das aves, dos suínos”, compara ministro da Pesca, em Seminário de Piscicultura em SC

O Brasil tem um potencial extraordinário, temos muita água, espécies, clima. Hoje tem mercado, tem produção aumentando e tem consumo

Um seminário regional de piscicultura, domingo, 05/12, reuniu produtores, técnicos e lideranças durante a Feira da Bezerra em Planalto Alegre, no Oeste de Santa Catarina. O ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin, participou do evento e palestrou pela manhã, falando sobre os investimentos do ministério no Estado, os desafios do setor e as novas ações e incentivos que a piscicultura está recebendo para ser mais uma alternativa de renda nas propriedades rurais.

Gregolin ressaltou o grande crescimento na piscicultura em todo o país, destacando que de 2007 para 2009 o aumento na produção neste segmento foi de 60%, e a venda de rações para peixes aumentou em 70%. “O Brasil tem um potencial extraordinário, temos muita água, espécies, clima. Hoje tem mercado, tem produção aumentando e tem consumo”, explicou o ministro.

Mas para que a piscicultura possa ter melhores resultados em renda e produtividade, Gregolin fez o comparativo entre a produção de peixe e a de outros animais na propriedade. “Temos que ser cada vez mais profissionais. Cuidar do peixe como cuidamos do suíno, do gado, das aves”.

INVESTIMENTOS

Para estruturar e ampliar a cadeia produtiva do pescado no estado que é o maior produtor nacional, o ministro destacou que nos últimos anos mais de 100 municípios catarinenses receberam máquinas para abertura de açudes e equipamentos para a piscicultura. Em 2010, outras 80 cidades estão recebendo retroescavadeiras e escavadeiras hidráulicas para ampliar o espaço para a produção aquícola.

Na Região Oeste especificamente, o MPA investiu na construção do frigorífico de pescado de Abelardo Luz, com capacidade para 10 mil toneladas dia, e unidades de beneficiamento em Anchieta e Concórdia. Para a produção de alevinos com redução de preço, o MPA investiu R$2,9 milhões na Estação de Piscicultura de Águas de Chapecó, além de crédito e assistência técnica para produtores de todo o estado.

Na sequência do Seminário de Piscicultura em Planalto Alegre, o especialista Jorge Casaca, da Epagri-SC, palestrou sob o tema: “Problemas atuais e perspectivas da Piscicultura do Oeste de Santa Catarina.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.