PMA prende paulistas que praticavam pesca predatória nos rios Pardo e Anhanduí

Policiais Militares Ambientais de Bataguassu, em fiscalização fluvial nos municípios de Nova Andradina e Bataguassu, prenderam três pescadores amadores no sábado (23) praticando pesca predatória nos rios Pardo e Anhanduí.

Em Nova Andradina, no Rio Anhaduí, próximo à Fazenda São Bento, Nildo Jorge, residente em Presidente Venceslau-SP, foi detido fazendo uso de petrechos proibidos (anzóis de galho e fisga). Com o pescador foram apreendidos um barco, um motor de popa, 30 anzóis de galho e uma fisga. O pescador estava armando uma rede quando os policiais o prenderam. Ele foi multado em mil reais.

Pelo mesmo motivo, já no rio Pardo, próximo ao Assentamento Aldeia, no município de Bataguassu, os policiais autuaram Joaquim Ferreira de Souza, residente em Presidente Epitácio-SP. Além de anzóis de galho, o pescador também utilizava redes de pesca. Com ele foram apreendidos um barco, um motor de popa, 12 anzóis de galho e duas redes de pesca. Joaquim recebeu multa de R$ 800,00.

Ainda próximo do Assentamento Aldeia, pelo mesmo motivo, de pescar com petrechos proibidos, os policiais autuaram Nelson Cintra Sobrinho, residente em Assis-SP. Com eles foram apreendidos um motor de popa, um barco e 23 anzóis de galho.

Todos os pescadores responderão pelo crime ambiental de pesca predatória. Se condenados, poderão pegar pena de um a três anos de detenção.

Durante todo este mês de outubro, a PMA continuará intensificando a fiscalização preventiva e repressiva contra a pesca predatória, em virtude da grande quantidade de pessoas que estão nos rios do Estado, devido a aproximação do período de piracema. Deste o fim de semana retrasado, já são 17 pescadores presos.

A idéia é manter o máximo de equipes nos rios para prevenir a pesca predatória, ou pelo menos, prender os pescadores que insistem em praticar a pesca irregular, antes que tenham capturado grande quantidade de pescado, que é o que está acontecendo. No caso desta última prisão, nenhum dos pescadores tinha ainda conseguido capturar peixes.

Fonte: Notícias MS

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.