Pesquisadores desenvolvem produtos à base de tilápia para consumo da população

File TilápiaRio de Janeiro – Pesquisadores da Embrapa Agroindústria de Alimentos e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) estão desenvolvendo estudos para a produção de patês e filés de tilápia em conserva, de modo a oferecer à população novas formas de consumo desse peixe, originário do Continente Africano e encontrado em lagoas e represas em todo o Brasil.

A coordenadora do projeto, a engenheira química Ângela Furtado, informou que a tecnologia vai estar disponível no país a partir de 2010. A ideia é despertar o interesse das indústrias do setor de pescado para que a Embrapa possa repassar essa tecnologia. “A nossa parte é fazer os testes e levar a tecnologia pronta para poder transferi-la para alguma empresa”.

No momento, os pesquisadores estudam o tempo que o produto pode permanecer na prateleira, para análise sensorial e microbiológica. “Depois disso é que a gente fica com a tecnologia disponível porque pode ver quanto tempo dura o produto”.

Os testes permitirão identificar qual é o tempo de validade do produto para comercialização. Ângela Furtado explicou que algumas indústrias de sardinha nacionais tentaram, no passado, fazer algo semelhante, mas o projeto não foi levado adiante.

A Embrapa Agroindústria de Alimentos está estudando a melhor formulação do produto e qual a receptividade que ele terá no mercado. O patê já foi testado internamente pelos pesquisadores e teve boa aceitação, afiançou Ângela Furtado. “É muito gostoso”.

No final deste mês, serão feitas provas de degustação dos filés de tilápias em conserva. A Embrapa está examinando o mercado para ver se é possível patentear a tecnologia.

Contatos nesse sentido já foram iniciados junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, para “ver a viabilidade de isso virar uma patente”, explicou a engenheira química.

A tilápia é um peixe de criatório, considerado importante fonte de proteínas minerais, principalmente cálcio e fósforo, além de vitaminas A, D e complexo B. De acordo com os estudos da Embrapa, cerca de 90% de sua carne podem ser processados, condimentados e comercializados sob a forma de patê. A criação de tilápias cresce em todo o país. O Brasil é o sétimo maior produtor mundial de tilápia.

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.