Pescadores do Espírito Santo recebem ponto fixo de comércio do Ministério da Pesca e Aquicultura

A colônia de pescadores Z-8 Nossa Senhora dos Navegantes no município de Marataízes, litoral sul do Espírito Santo, recebeu do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) equipamentos para instalação de ponto fixo de comercialização.

O objetivo do projeto é fortalecer a cadeia produtiva através da disponibilização de equipamentos para organizações produtivas ou representativas de pescadores artesanais.

Os equipamentos entregues a colônia de pesca Z -8 somam um total de investimento de R$ 20 mil, entre freezer horizontal, balanças eletrônicas, mesas de preparação em inox, tábuas de corte, bancada com pia aço inox, seladora a vácuo, caixas plásticas, conjunto de facas e talheres, carinho de mão e máquina de fabricação de gelo com 300 kg por dia e depósito.

Segundo o presidente da colônia Z-8, Sérgio Cláudio Marangoni, o ponto fixo de comercialização será usado principalmente para o beneficiamento das demais espécies no momento da pesca do camarão. “Os peixes que são pescados juntamente com o camarão eram salgados e comercializados a preços muito baixos e, com esses equipamentos, nossa realidade será outra”, declara Marangoni. “Com a estruturação do ponto fixo, as esposas dos pescadores poderão manipular o peixe e transformá-lo em alimentos para a comercialização, agregando valor ao produto final”, conclui o presidente da colônia Z-8.

Para o superintendente da Pesca e Aquicultura no estado do Espírito Santo, Cledson de Sousa Felippe, os alimentos produzidos no ponto fixo serão comercializados pela colônia e a renda será dividida. “Assim, as famílias dos pescadores terão mais uma fonte de renda”, enfatiza o superintendente. Disse ainda que, com ajuda desses novos equipamentos, a comunidade poderá reaproveitar os peixes que são capturados na rede junto aos camarões para elaborar produtos como hambúrguer, quibe e linguiça.

Cerca de vinte e cinco pescadoras de Marataízes irão atuar no projeto, a maioria esposas e filhas dos pescadores da região. A exemplo de Norma Suely Macedo Cardoso que irá trabalhar com a manipulação e preparo dos alimentos que serão vendidos. “Fiz uma curso de culinária e agora poderei desenvolver o que aprendi. Queremos mudar a nossa realidade e aumentar a nossa renda”, conta a pescadora.

A entrega desses equipamentos para a colônia Z -8 faz parte de um novo arranjo comercial para pesca artesanal do Espírito Santo, o qual contempla investimentos em infraestrutura e logística como Câmaras Frigoríficas, Fábrica de Gelo e Telecentro, todos projetos do MPA. “Com os equipamentos, os pescadores de Marataízes poderão participar dos programas de comercialização da agricultura familiar – PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e do programa de alimentação escolar”, destaca o superintendente.

MPA

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.