Pescadores do Canto Verde param com a pesca da lagosta antes do Defeso

Fortaleza (13/10/2009) – A Reserva Extrativista da Prainha do Canto Verde, em Beberibe, já é conhecida por ser uma conquista histórica da comunidade que luta contra a especulação imobiliária e pelo direito à terra. Hoje, lidera mais uma vez um movimento de pescadores. Dá o exemplo e pára com a pesca de lagosta antes mesmo do início do defeso previsto para começar dia 1º de dezembro. A decisão foi tomada em assembléia por mais de 60 pescadores e donos de jangadas e catamarãs reunidos no centro comunitário da comunidade.

Eles esperam sensibilizar as outras colônias para que façam o mesmo, pois já não compensa mais pescar o crustáceo. O preço de venda está baixo, o custo da atividade elevado e a lagosta que se pesca está miúda, inferior a 13 cm. Desta maneira a pesca representa prejuízo e não lucro. A alternativa será a pesca de peixes neste período, o que representa um amadurecimento da consciência ambiental da comunidade. Segundo o chefe de fiscalização Rolfran Cacho Ribeiro, “esta decisão de pescar peixe a partir de agora representa uma grande contribuição para a preservação da lagosta e se as demais associações e colônias aderirem a esse movimento será excelente”.

Ainda durante assembléia expressaram o seu apoio às equipes de fiscalização do Ibama pelo trabalho que vem desenvolvendo e para que continue retirando os compressores do mar.

A Reserva Extratista da Prainha do Canto Verde foi decretada em 5 de junho de 2009. São 29 mil hectares incluindo 660 hectares de terra.

Mariangela Bampi
Ascom Ibama/CE

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.