Pescadores de lagosta recebem capacitação em 9 estados

Brasília – Começou no dia 4 o curso de capacitação para pescadores e comunidades pesqueiras para aprenderem a confeccionar o manzuás, que são armadilhas para a pesca da lagosta. O curso é promovido pela Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República (SEAP).

São 59 novos cursos com a duração de 40 horas em nove estados: Ceará, Rio Grande do Norte, Espirito Santo, Paraíba, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Pará, Piauí e Pará. De acordo com a coordenadora geral de Pesca Artesanal da SEAP, Maria Luiza Moretson, os professores selecionados são pescadores que já possuem o conhecimento tradicional da produção do manzuá. Segundo ela, o objetivo desse curso é capacitar os pescadores na confecção dessas ferramentas para a pesca da lagosta, que terá inicio no dia 16 de junho.“A partir das resoluções do Ibama, a pesca com a caçoeira foi proibida e muitas comunidades perderam essa produção porque nunca pescaram com o manzuá. Essa ação da SEAP visa capacitar e requalificar os trabalhadores para a produção deste apetrecho para a pesca da lagosta”, explica a coordenadora.O presidente da União dos Pescadores da Caponga (Unipesca), Francisco Soares, mais conhecido como Wilson, espera que esse trabalho de capacitação melhore as condições de vida dos pescadores e da comunidade em geral, pois, segundo ele, a pesca está muito defasada. “É positivo a iniciativa do curso de capacitação e eu gostaria que esse curso se expandisse para as outras praias e comunidades da região”, ressaltou o presidente da Unipesca.

A substituição da rede caçoeira pela armadilha é uma das principais medidas adotadas pelo governo federal para recuperar a pesca da lagosta no país, que vinha sofrendo com a redução de estoques causada pela pesca excessiva e pelo uso continuando de métodos predatórios na captura, como a caçoeira, que captura lagosta miúda e remove o substrato marinho.

As medidas foram tomadas a partir de deliberações do Comitê de Gestão do Uso Sustentável da Lagosta, criado em 2004 pelo governo com o objetivo de planejar ações para reverter a crise. O comitê é formado por órgãos governamentais, instituições de pesquisa e associações representativas de pescadores.

Para se inscrever nesse curso, os pescadores devem procurar os escritórios estaduais da SEAP ou nos municípios onde terão o curso de capacitação.

Fonte = A Tarde On Line

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

3 Comentários

  1. Solicitamos se possível nos fornecer nomes ou telelefones de empresas fabricantes de Manzuá (para pesca de Lagostas)

    Atenciosamente

    Ailton Rodrigues Lima

    Kplast Comércial Ltda
    Tel: (61) 3201-4071 / Fax: (61) 3201-9494

  2. Ola Maria

    Realmente muita coisa tem sido feita para que os Pescadores Profissionais, possam exercer sua profissão e ainda falta algumas a serem feitas.
    Pelo que vi voce faz parte da Colônia de Pescadores Z 21, quando quiser mande noticias da Colônia , estamos a disposição para publicar.

    Um abraço

  3. maria nunes de Aquino

    gregolin obrigado pelo seu trabalho junto aos pescadores estamos muito feliz queremos que mande fiscalizar os compensores que ainda pertuba nossa pesca a colonia de pescadores z 21 de Fortim esta feliz temos so que organizar mais a pesca .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.