Pesca do tucunaré no rio Negro deve ter acordo

Um acordo que deverá ser selado numa reunião em Barcelos vai substituir os conflitos entre as comunidades que exercem a pesca comercial do tucunaré, na bacia do rio Negro, e os defensores da pesca esportiva e seus operadores.

O encontro vai ser definido na sede da SDS (Secretaria de Desenvolvimento Social), numa reunião entre o deputado Walzenir Falcão (PTdoB), que preside a Comissão de Desenvolvimento do Interior, Agropecuária, Pesca e Abastecimento da Assembléia Legislativa do Estado, e o secretário Virgílio Viana.
O acordo vai substituir o decreto-lei 22.304, estabelecido a partir de 2001, pelo governo do Estado, com validade de cinco anos, impedindo a pesca comercial do tucunaré, na bacia do rio Negro. A decisão saiu de uma reunião da comissão, ocorrida na última sexta-feira, na ALE, com a presença do secretário Virgílio Viana, o chefe do setor de recursos pesqueiros do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis), Júlio Alberto Siqueira, o prefeito e o vice do município de Novo Airão, Wilton Santos e Dailton Corrêa, respectivamente, o secretário de Turismo de Barcelos, Nelson Costa, e os deputados membros da referida comissão Luiz Castro (PPS), Adjuto Afonso (PP) e Carlos Alberto (PML), além de representantes das Colônias de Pescadores, de Iranduba, Parintins, Itamaraty, Manacapuru, Anori, Maraã e Manaus.

Acordo é importante
No decorrer da reunião, Virgílio Viana ressaltou, por várias vezes, a importância de um acordo, onde ambos os lados cedem visando encontrar um alternativa viável para substituir os conflitos que envolvem os municípios de Novo Airão, Barcelos, Santa Izabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira.

Pesca comercial

Walzenir Falcão disse que, inicialmente, a proposta de Virgílio Viana era “abrir uma janela” no decreto-lei que está pronto para contemplar a pesca comercial através de um zoneamento em que a pesca esportiva teria áreas específicas e da mesma forma a pesca comercial.

“A proposta foi substituída por um acordo de pesca que se dará na realização de uma grande reunião a ser feita em Barcelos, porque se localiza estrategicamente dividindo a distância para facilitar o acesso de todos que dela vão participar”

, disse o deputado Falcão, informando que foi criada uma comissão com dois membros (um titular e outro suplente) de cada setor envolvido para dar encaminhamento a proposta aprovada.
Publicação JC

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.