Pelotão Ambiental realiza a maior apreensão de crustáceos do ano na Lagoa dos Patos

Pelotão Ambiental apreendeu mais 300 metros de rede usadas irregularmente

A Brigada Militar Ambiental, em conjunto com o Ibama, realizou na sexta-feira a 5ª e maior apreensão de crustáceos do ano. A Operação Centauro Defeso, realizada próximo à ponte da Ilha dos Marinheiros, no estuário da Lagoa dos Patos, iniciou às 3h de sexta-feira, 28, e foi encerrada por volta das 15h do mesmo dia. Ao todo, foram contabilizados a apreensão de 564,5 quilos de camarão, seis embarcações, 300 metros de redes, cinco liquinhos, quatro baterias, duas facas, 16 berimbaus, um veículo e a prisão de nove pessoas.

Conforme explicou o tenente Humberto da Rocha Romano, Comandante do 2º Pelotão Ambiental do Rio Grande, a pesca do crustáceo está vetada até o próximo dia 31, quando termina o período de Defeso do Estuário da Lagoa dos Patos, época que respeita o tempo de reprodução das espécies que habitam o local.

Quem for pego pescando durante o período estará cometendo crime ambiental, capitulado na Lei de Crimes Ambientais, 9605/98, que prevê detenção de um a três anos ou multa, que poderá chegar a R$ 100 mil. Os pescadores presos nesta apreensão, de acordo com o comandante, podem pagar fiança de cerca de R$ 300 e responder o inquérito em liberdade.

Mesmo após terminado o Defeso, as fiscalizações do Pelotão Ambiental continuarão na Lagoa dos Patos. Os técnicos e policiais deverão vistoriar as malhas das redes de saco e aviõezinhos (redes fixas), cuja permitida é superior a 24 milímetros, bem como proibir a captura, o transporte e a comercialização do camarão rosa inferior ao comprimento total de nove centímetros.

Segundo informações do 2º Pelotão Ambiental, desde o início das operações de combate à pesca ilegal, no começo do ano, foram apreendidos 1.161,5 quilos de camarão, 80 baterias, 2.145 metros de rede, 26 liquinhos, 19 baterias, 15 embarcações, 3 veículos, duas facas, quatro lanternas, 16 berimbaus, duas boias, além de 43 pessoas presas e três menores apreendidos.

A orientação do Pelotão Ambiental é para que a comunidade denuncie caso tiver conhecimento de crimes atentatórios a fauna, flora, poluição, mineração, produtos perigosos entre outras ocorrências ambientais, através do telefone 3235-7402.

Todas as apreensões de camarão foram repassadas ao programa Mesa Brasil do Sesc, que doou o alimento para 13 instituições carentes. Conforme a nutricionista do projeto, Alessandra Plastina Wetzel, os repasses beneficiaram a Comunidade Renascer do Espírito, Pensionato Novo Lar, Comunidade Terapêutica Vida Nova, Comunidade Terapêutica Prosseguir, Exército da Salvação, Neemias, Pensionato Meu Terceiro Lar, Associação Base de Apoio Esperança, Asylo dos Pobres, Lar da Criança Raio de Luz, Orfanato Maria Carmem, Pastoral do Menor e Casa Cigana.

http://www.jornalagora.com.br

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.