Paraná – Policia Ambiental realiza fiscalização para combater pesca predatória no interior

Policiais do terceiro Pelotão de Polícia Ambiental – que atua na região de Umuarama – prenderam seis pessoas e autuaram mais duas por estarem praticando pesca predatória ilegal, em abordagens ocorridas no último final de semana, em Icaraíma. Foram apreendidos cerca de 1,2 m de redes, um barco e 50 m de corda espinhel. Além do material, 46 kg de peixes também foram encontrados.

Durante patrulhamento em Icaraíma, cidade próxima a Umuarama, os policiais abordaram um homem, 51 anos, que se dirigia a sua residência com dois grandes sacos pendurados na sela do cavalo em que estava montado. Durante a revista pessoal, foram encontrados 26 Kg de pescados diversos, oriundos da pesca predatória no rio Ivaí, nas proximidades do Porto Novo. “A maioria dos peixes se encontrava com marcas de redes”, afirma o comandante do 3º Pelotão de Polícia Ambiental, tenente Alcimar Crecêncio.

O infrator foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia de Icaraíma por estar pescando em período de piracema. “Nesta época, que vai de 1º de novembro a 28 de fevereiro, é proibida a pesca, pois é o período de reprodução dos peixes e, por isso, há essa proteção” ressalta o tenente. Além disso, foi lavrado o Auto de Infração Ambiental ao pescador, cujo valor varia de R$700 a R$100 mil. No mesmo dia foram retiradas do rio Ivaí, 1,2 m de rede de pesca com várias medidas.

Também no rio Ivaí, duas pessoas, de 36 e 43, foram autuadas por estar realizando pesca com material predatório em período proibido. Junto eles foram apreendidos um barco, redes, 50 m de corda de espinhel e doze anzóis que já tinham iscas vivas. “Foram emitidos dois autos de infração para cada um dos infratores, um por pescar em período proibido e outro por estar usando material predatório”, afirma Alcimar.

Outras cinco pessoas, com idades entre 20 e 59 anos, foram presas em flagrante durante a fiscalização em Diamante do Norte, na divisa com São Paulo, realizando pesca de barranco na jusante da Barragem de Rosana. “É importante salientar que essa pesca de barranco ou pesca desembarcada, quando realizada próximo a barragem da hidroelétrica, torna-se extremamente predatória, pois os peixes passam a ser alvo fácil e vulneráveis aos pescadores”, diz o tenente.

PUNIÇÃO – Contra os detidos, foram feitos Autos de Infração Ambiental, além de eles serem encaminhados à Delegacia de Nova Londrina. “Todos aqueles que forem flagrados utilizando-se de aparelhos, apetrechos, técnicas e métodos não permitidos para a pesca podem ser penalizados com multa de R$ 700,00 a R$ 100 mil e ainda R$20,00 por quilo ou fração do produto da pescaria. A pena para este tipo de infração varia de 01 a 03 anos de detenção ou multa, ou ambas, cumulativamente”, afirma. E toda a quantidade de peixes apreendida, segundo o tenente, é doada à entidades beneficentes, desde que esteja em condições para o consumo.

O Comandante do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde, o tenente-coronel João Alves da Rosa Neto, afirma que as ações se tornam mais eficazes com a participação da sociedade, que colabora denunciando os crimes ambientais. “O Batalhão possui um serviço de atendimento em que as pessoas podem realizar denúncias sem a necessidade de se identificar; o telefone é 0800 643 0304. A ligação é gratuita e pode ser feita a qualquer hora”, completa Rosa Neto.

Polícia Militar do Paraná

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.