Paraná – Fiscalização já registrou 57 ocorrências na piracema

Força Verde apreendeu 662,5 kg de peixe, 266 kg de camarão e diversas redes

Peixes na piracema
Piracema Paraná

Desde 1º de novembro, início do período de defeso dos peixes – época de reprodução que vai até 28 de fevereiro -, policiais do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde, juntamente com os fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), intensificaram a fiscalização contra a pesca predatória no Estado. Já foram registradas 57 ocorrências, com a apreensão, pela Força Verde, de 662,5 kg de peixe, 266 kg de camarão, 4.623m de redes diversas, 26 redes de arrasto, 7 gerival, 1.670m de espinhel, 24 tarrafas, duas linhas de mão, 97 anzóis de galho, seis covos e 16 molinetes.

As regiões que mais tiveram ocorrências são o litoral, Rio Paranapanema, na região Norte, e rios Itaipu e Paraná, na região Oeste. Segundo o comandante da Polícia Ambiental Força Verde, tenente coronel João Alves da Rosa Neto, essas regiões são áreas bastante degradadas por pescadores, caçadores e criminosos ambientais.

Além das operações para coibir e reprimir a captura de animais, pássaros silvestres e pesca predatória, a polícia busca incentivar a população a preservar a natureza. “O trabalho da polícia não é apenas autuar e prender, mas também conscientizar as pessoas de como preservar o meio ambiente e utilizar o que a natureza oferece sem degradá-la”, ressalta Rosa Neto.

De acordo com o comandante, as ações e operações da Força Verde são diárias e contam com o apoio do Estado, que além de viaturas, libera barcos e aeronaves. Os resultados positivos dessas operações estão sendo possíveis devido à cooperação da população, que fez denúncias junto ao Disque Força Verde.

Fiscalização

A Polícia Ambiental tem intensificado a fiscalização aquática, que acontece diariamente, para diminuir a prática da pesca predatória. Essas medidas auxiliam no equilíbrio natural da biodiversidade das bacias hidrográficas. Além do trabalho de fiscalização, a Força Verde tem o papel de conscientizar a população sobre a importância da fauna e da flora, bem como das denúncias sobre pesca predatória, venda de animais silvestres e crimes ambientais.

Denúncias de pesca predatória e de outros crimes ambientais podem ser feitas diretamente pelo telefone: 0800-6430304. A ligação é gratuita, durante as 24 horas do dia. A identidade de quem denuncia é mantida em sigilo.

Piracema

A ação dos pescadores desrespeita completamente a portaria do IAP n.° 190 – que prevê o período da piracema entre os dias 1º de novembro até 28 de fevereiro. A medida visa a proteção para a reprodução natural dos peixes nos rios de domínio do Estado. A pesca é proibida nos rios com afluência direta ao reservatório de Itaipu, bem como, o Tibagi e seus afluentes, Arroio Guaçu, Piquiri, Ivaí, Ocoí, São Francisco Falso, São Francisco Verdadeiro, Rio das Cinzas e Rio Laranjinha.

Agência de Notícias do Estado do Paraná

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.