Operação Piracema do Ibama e PMA flagra pesca predatória e apreende armas

Operação Piracema cumpriu o papel de marcar a presença da fiscalização em áreas pouco exploradas

O Ibama e a Polícia Militar Ambiental, em operação conjunta nos rios do pantanal de Mato Grosso do Sul, apreenderam 1040 metros de rede e 90 kg de pescado abaixo das medidas exigidas pela legislação, 13 tarrafas, dois motores de popa e quatro armas, incluindo uma com silenciador apreendida no rio Piquiri no pantanal norte, na divisa dos municípios de Coxim e Sonora. Outra arma foi apreendida no Rio Taquari na região de Pedro Gomes, no norte do Estado. Foram lavrados 11 autos de infração com multas que somaram R$35.500 mil reais.

Dois pescadores foram presos e vão responder por pesca ilegal e porte irregular de armas. Outros nove pescadores foram flagrados por prática de pesca predatória. A maior parte dos pescadores veio do interior de São Paulo, incluindo os que portavam armas ilegais.

De acordo com o chefe da Divisão de Proteção Ambiental do Ibama a Operação Piracema cumpriu o papel de marcar a presença da fiscalização em áreas pouco exploradas e mais remotas do pantanal de Mato Grosso do Sul. A operação começou no dia 25 do mês passado com duas equipes em ação. Uma no rio Apa na região do Nabileque, no pantanal sul e outra no Rio Paraguai próximo a Corumbá. Nessa região de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia a maior pressão da pesca predatória vêm também da presença de populações ribeirinhas dos dois países fronteiriços. Depois as equipes foram deslocadas para a região norte do pantanal, onde foram feitas a maioria das apreensões.

Ascom Ibama/MS
Fotos: Dipam Ibama/MS

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.