Operação intensifica fiscalização da pesca predatória na Baía de Todos os Santos

O Instituto do Meio Ambiente do Estado da Bahia intensificou a fiscalização da pesca predatória na Baía de Todos os Santos, durante o verão, resultando em apreensões de explosivos, embarcações e aparatos de pesca proibidos pela legislação ambiental.

Com o apoio da Companhia de Policiamento e Proteção Ambiental – COPPA, os técnicos do IMA estão monitorando a BTS diariamente, abordando pescadores, orientando-os a respeito da rede adequada, período de defeso, entre outras informações, e também executando fiscalização corretiva: autuando infratores, encaminhando-os à delegacia de polícia e recolhendo equipamentos utilizados na pesca ilegal.

Somente em janeiro de 2010, já foram apreendidas duas canoas, um barco a motor, dois explosivos, duas espoletas, cinco cordéis detonantes, diversos equipamentos de mergulho, facas e sulambas (utilizadas para recolher os peixes), mais aproximadamente 100kg de peixe adquiridos através da pesca com bomba, que é uma atividade criminosa proibida por lei. Todo o material apreendido foi recolhido para inquérito e os peixes foram doados ao Hospital Geral de Itaparica.

Pesca com Bomba

Segundo a legislação, somente as forças armadas têm permissão para manipular explosivos no mar e a utilização indevida pode atingir o ecossistema marinho em até 500m de raio do ponto da explosão, pondo em risco não só a biodiversidade como até a saúde de mergulhadores que estejam próximos ao local.

Além das questões ambientais e de saúde, as estruturas das casas e portos que têm contato com o mar podem ficar abaladas pelo impacto dos explosivos, principalmente as construções antigas, como é o caso do Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM, entre outras edificações que compõem o patrimônio histórico nacional.

Quem pratica ou incentiva a pesca com uso de explosivos está cometendo um crime inafiançável e pode pegar até cinco anos de reclusão, segundo o artigo 35, inciso II, da lei federal 9.605/98, conhecida como Lei de Crimes Ambientais.

Para denunciar a atividade é só ligar para 08000 71 1400 (denúncia anônima).

Tipos de rede e período de defeso

O período de defeso é definido pelo IBAMA, segundo a Lei Federal nº 7.679/88, que dispõe sobre a proibição da pesca de espécies em períodos de reprodução, e o Decreto-Lei nº 221/67, que estabelece o Código de Pesca.

Na pesca com rede, só pode ser utilizada a malha de n° 25 ou maior, para que os filhotes não sejam atingidos.

Observe a tabela abaixo e confira o período de defeso de cada espécie:

IMA/Bahia

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.