Ministra Ideli discursa na abertura da reunião da FAO, em Roma, e pede cooperação técnica para desenvolver o setor

O destaque ao assunto se deve ao fato de que o Brasil vê a atividade da pesca e aquicultura como estratégica para erradicação da miséria.

A posição do Brasil em temas principais como a sustentabilidade e apoio técnico aos países que estão se desenvolvendo, ficou evidente durante a fala da ministra da pesca e aquicultura, Ideli Salvatti, nesta manhã (31/1), na abertura da 29ª Sessão do Comitê de Pesca da FAO, em Roma.

Segundo a ministra, além dos temas comuns que serão tratados até sexta (4/2), última dia do encontro, o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva de pescado deve ser o ponto principal de atenção da entidade. Isso porque, “levará ao aumento da renda de populações vulneráveis e contribuirá para níveis maiores de segurança alimentar no mundo”, disse.

O destaque ao assunto se deve ao fato de que o Brasil vê a atividade da pesca e aquicultura como estratégica para erradicação da miséria. “Temos condições únicas, pelo nosso potencial, de produzir milhares de toneladas de pescado, um alimento saudável que não desmata florestas e possui um custo baixo de produção”, explicou, reforçando que o aumento da produção também torna a carne mais acessível, a preços mais baixos para elevar o consumo.

Para isso, a ministra pediu a atenção de todos quando à cooperação técnica e de capacitação entre os países. Ressaltou que o comitê deve concentrar-se para propiciar condições de que os emergentes desenvolvam mais rapidamente suas cadeias produtivas.

Aproveitando a presença de autoridades dos mais 190 países, Ideli terminou fazendo um apelo pela intensificação do combate à pesca ilegal e predatória no mundo. Citou a importância do Acordo da FAO sobre o Tratado de Porto, que coíbe a entrada de navios de pesca ilegal nos portos dos países signatários, como o Brasil, e reiterou o compromisso brasileiro quanto aos códigos de conduta.

A agenda do Comitê de Pesca da FAO prosseguirá com a avaliação ainda nesta segunda – feira (31) sobre a implantação do Código de Conduta para Pesca Responsável. Amanhã (1/2), a ministra Ideli Salvatti se reúne com a Noruega para discutir maior aproximação e relacionamento bilateral com aquele país. Outro assunto que toma atenção do encontro é a eleição do novo presidente da entidade, prevista para julho e disputada, entre outros, pelo brasileiro José Graziano da Silva.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

um comentário

  1. Nós temos as condições e a técnica para transformarmos o País num dos maiores e melhores produtores no setor da pesca e aquicultura do mundo, o que nos faltava era a seriedade e o comprometimento do Governo o que agora teremos com a nova gestão que se iniciou em 2011, participativa e atuante buscando sempre o desenvolvimento sustentável, a organização administrativa combinada com as melhores técnicas de governança, sempre na busca de alcançarmos os patamares ideais de qualidade e tecnológicos. Alexandre Uriel (Conselheiro da FIESP e Vice-Presidente do IRB-Instituto Recupera Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.