Mais um tubarão aparece na praia de Toque Toque Pequeno, em São Sebastião


Pescadores da praia de Toque Toque Pequeno, na Costa Sul de São Sebastião, encontram esta semana mais um tubarão-mangona fêmea (caçoa). Desta vez, ele estava a 300 metros da praia e também foi pego em um cerco de terra no costão. O peixe, de 2,34 metros de comprimento e 150 quilos, foi doado para a Universidade Santa Cecília (Unisanta), de Santos, para pesquisa.

O pescador Márcio Silvestre Cadenazzi de Matos, 23 anos, explica que de março a junho é quando a fêmea vem mais perto da costa para desovar. “A incidência é maior em águas profundas, mas nesse período ela tende a aparecer mais em águas rasas”, disse.

Segundo ela, a doação à universidade foi como forma de contribuir com as pesquisas sobre peixes da costa. “Faço parte de um grupo de pesquisa que todo peixe que a gente encontrar considerado diferente será entregue para a universidade”.

De acordo com o chefe da Divisão de Pesca da Secretaria do Meio Ambiente, da Prefeitura de São Sebastião, Álvaro Augusto Santos Moura, o nome científico da tubarão mangona é Carcharias taurus. Ela é facilmente reconhecida pelo seu corpo robusto e por possuir as duas nadadeiras dorsais do mesmo tamanho. Tem coloração em tons de marrom e atinge até 3,5 metros de comprimento.

Apesar de todo este tamanho é uma espécie inofensiva, embora existam relatos de ataques a caçadores. Habita mares tropicais ou temperados, sendo observada nas proximidades de recifes rochosos e de corais. Se alimenta tanto de peixes ósseos como pequenos tubarões e raias. Ele pode ser encontrado sozinho ou em grupos de até 80 animais. Em geral, esse peixe se junta a outros da sua espécie para migrar: Ele costuma procurar locais para se reproduzir que considere seguros tanto para si quanto para os seus filhotes. Águas rasas com fundo de areia ou recifes de coral são os lugares de que ele mais gosta.

Os filhotes dessa espécie têm um jeito estranho e curioso de se alimentar enquanto estão no útero: eles comem outros irmãos menores, que são menos desenvolvidos. Dessa forma, apenas um filhote sobrevive por parto. Mas isso não significa que o tubarão-mangona tenha apenas uma cria a cada gestação, que dura entre nove e 12 meses. Como a fêmea de tubarão tem dois úteros, nascem dois filhotes.

Por: Depto. Imprensa – Prefeitura Municipal de São Sebastião

Sobre o autor

Escreveu 2224 artigos neste site.

Deixe um Comentário

Gravatar são pequenas imagens que mostram sua personalidade. Obtenha um gravatar gratuitamente!


3 + = quatro

Copyright © 2014 Guia da Pesca. Todos os direitos resevados.
Hospedado e Personalizado por Aquila Host