Investigada ONG por vender Amazônia pela Web


MANAUS – A Subcomissão Especial do Congresso destinada a tratar de Questões Fundiárias e Agrárias na Região Amazônica, integrante da Comissão de Meio Ambiente do Congresso, presidida pela deputada federal Vanessa Graziottin (PC do B-AM), começa hoje a recolher informações acerca da organização não-governamental Cool Earth, que desde 5 de junho está vendendo pedaços da Amazônia pela internet. A meta é investigar a ação financeira da ONG, supostamente ilegal, com ajuda do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).


O comércio de terras acontece por meio do site http://www.coolearth.org/. Atualmente, 29.107 acres de áreas florestais, o que equivale a cerca de 110 mil quilômetros quadrados da Amazônia, já foram vendidos pela web. Esses territórios representam 65% do total de áreas amazonenses que hoje estão sendo disponibilizadas por meio do site, sendo que os demais 35% das terras à venda são oriundas de áreas do Equador.

Com a venda da Amazônia pela internet, a Cool Earth estima que poderá ser gerada uma economia de 260 toneladas de carbono, a partir da não emissão de carbono na atmosfera.

De acordo com informações do jornal Amazonas em Tempo, até o momento não foram divulgadas pela prefeitura de Manicoré ações de sustentabilidade na região onde os acres de terras estão sendo vendidos. As populações continuam vivendo por seus próprios meios tradicionais, como caça e pesca.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.