Ibama promove expedição fluvial em águas internacionais

A lancha com a equipe do Ibama MS saiu do ancoradouro da Ponte do Rio Paraguai, em Porto Morrinho

Começa hoje (11) e vai até sexta (13) a Operação Piracema, expedição fluvial do Ibama/MS por águas internacionais que têm apresentado conflitos na área de pesca, num percurso de 410 km ao longo do rio Paraguai até a região de Ingazeiro, no município de Porto Murtinho. Tais conflitos ocorrem na região da Bahia Negra e no trecho do Estirão da Ilha Verde, envolvendo fronteiras comuns entre o estado de Mato Grosso do Sul, o Paraguai e a Bolívia.

Liderada pelo superintendente do Ibama em Mato Grosso do Sul, David Lourenço, e contando com mais três técnicos da instituição, a missão pretender coibir a pesca predatória, verificar as condições de navegabilidade da hidrovia Paraguai-Paraná e vistoriar as instalações de embarque dos portos existentes ao longo desse caminho que servem de escoadouros da produção de minério de ferro das mineradoras instaladas em Corumbá.

A lancha com a equipe do Ibama MS saiu do ancoradouro da Ponte do Rio Paraguai, em Porto Morrinho, e navegará em águas brasileiras, numa distância de 94 km, até a localidade do Estirão da Ilha Verde, onde se dá início a navegação em águas internacionais com a Bolívia, trecho que compreende uma distancia de aproximadamente 67 km.

Após esse trecho, a equipe do Ibama/MS continuará a navegação em águas internacionais (Brasil/Paraguai), indo até a cidade de Porto Murtinho/MS, numa distância de mais 253 km de navegação até o destino final da missão, na região de Porto Sastre ou Ingazeiro, no sul do Mato Grosso do Sul, que fica no município de Porto Murtinho.

Além da pesca predatória, que motiva a missão da equipe do Ibama, a expedição servirá para os técnicos analisarem os casos de caça predatória, que também vêm ocorrendo na região da Baía Negra.

Outra questão fundamental para o superintendente David Lourenço é a vistoria das condições da hidrovia e dos embarques de minério de ferro nos portos existentes nesse percurso. Essa viagem garantirá subsídios à instituição para a análise dos pedidos de ampliação das instalações e da produção de minério de ferro do complexo minero-siderúrgico existente no município de Corumbá, que se localiza no Maciço de Urucum.

“Vai caber ao Núcleo de Licenciamento do Ibama em Mato Grosso do Sul avaliar os riscos e as condições ambientais em que vai se dar a ampliação da produção do complexo de minério de ferro instalado em Corumbá”, afirma.

Para David, “essa expedição envolve vistoriar toda uma região estratégica para o Ibama em Mato Grosso do Sul – a região do pantanal que precisa ser preservada para as futuras gerações”, conclui.

Mapa Expedição Paraguai (260.2 KiB)

Ascom Ibama/MS

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.