Governo do Rio implanta Parque Fluvial do Rio Macacu

Rio de Janeiro – Com o objetivo de preservar o Rio Macacu, recuperar a mata ciliar e incentivar o lazer e o ecoturismo, a secretária do Ambiente do Rio, Marilene Ramos, implanta oficialmente hoje (13) o Parque Fluvial do rio. A cerimônia será no município de Cachoeiras de Macacu, na região serrana do estado.

A solenidade contará com a presença do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da secretária Marilene Ramos que, na ocasião, assina contrato com a empresa que fará o projeto de saneamento para a área.

O projeto beneficiará a sede do município de Cachoeiras de Macacu e os distritos de Santana do Japuíba e Papucaia. A iniciativa integra o Pacto pelo Saneamento, que amplia de 25% para 80% a coleta e o tratamento de esgoto, nos próximos 10 anos, em todo o território fluminense.

Segundo o governo do estado, o Parque Fluvial do Rio Macacu é formado por oito módulos segmentados e sua implantação começa na Reta do Ipê, modulo onde serão construídos dois quilômetros de ciclovia, quatro quadras de esporte, área para lazer, espaço para a terceira idade, a sede da Área de Proteção Ambiental (APA) Macacu, um centro de educação ambiental e banheiros, numa área de oito hectares.

A secretaria já construiu o pórtico de entrada do parque, demarcou as trilhas e a ciclovia e iniciou o reflorestamento, com o plantio de 1.000 mudas de espécies da Mata Atlântica. Durante a cerimônia, a secretária e o ministro farão o plantio de mudas e percorrerão, de bicicleta, pequeno trecho da ciclovia.

O parque fluvial formará um corredor florestal ao longo das margens do rio – que nasce no município de Cachoeiras de Macacu, a mais de 1.700 metros de altura –, a partir dos limites do Parque Estadual dos Três Picos, no interior da APA da Bacia do Rio Macacu. O projeto de recuperação da bacia inclui ações para preservação do rio e de seu afluente Guapiaçu.

Com uma superfície de 1.250 quilômetros quadrados e abrangendo parte dos municípios de Cachoeiras de Macacu, Guapimirim e Itaboraí, a Bacia do Macacu tem importância estratégica para o estado. As águas do rio, tratadas no sistema Imunana/Laranjal, abastecem milhares de habitantes e indústrias nos municípios de São Gonçalo, Niterói e Cachoeiras de Macacu, além da Ilha de Paquetá.

Nielmar de Oliveira
Repórter da Agência Brasil

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.