Final feliz para pescadores do Rio de Janeiro – Cagarras

A Consulta Pública convocada ontem (02/05) pelo IBAMA, na Universidade Cândido Mendes (RJ), para criação da unidade de conservação integral “Monumento Nacional das Ilhas Cagarras“, contou com a participação de mais de 300 pessoas, que quase por unanimidade votaram pela não criação. Os votos a favor da proposta do Ibama, se limitaram apenas a representantes do órgão.

Como medida alternativa, visando solucionar os problemas de pesca na região, a Vivamar apresentou a criação de uma unidade de conservação que permita a pesca amadora e artesanal, sem o uso de redes, compressores ou armadilhas, em um espaço de até 500 metros de distância da ilha. O uso de arrasto, parelhas e qualquer outra atividade que seja danosa ao meio ambiente marinho fica proibido, de acordo com a proposta, que também proíbe qualquer atividade de pesca na área central das ilhas Cagarras. Nesse local seria permitido somente o fundeio e o mergulho contemplativo. A possibilidade de implantação de naufrágios artificiais no local foi levantada.

O superintendente do IBAMA no Rio de Janeiro garantiu que novas consultas seriam realizadas e que a proposta de unidade de conservação seria revista. Em relação a proposta apresentada, disse que a mesma seria estudada.

“Tivemos uma vitória até que surpreendente pela unanimidade obtida”, disse o diretor executivo da Vivamar, Roberto Negraes. Diversos profissionais da área, professores e entidades aderiram a luta encabeçada por essa ONG, contra a criação do Monumento Nacional das Ilhas Cagarras, que proibiria a pesca nessa região fluminense.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.