Fernando de Noronha sedia 14º torneio de pesca oceânica

sailfish - fernando de noronhaPescadores nativos e visitantes lançaram seus barcos ao mar, nesta sexta-feira (21), no segundo dia de competição do XIV Torneio de Pesca Oceânica de Fernando de Noronha, que se estende até este sábado na ilha. Dez barcos participam desta edição, que encolheu um pouco em número de participantes e de patrocinadores, na comparação com anos anteriores. A festa de premiação acontece no sábado à noite, no Bar do Cachorro, na Vila dos Remédios.

Para se inscrever na competição, os pescadores visitantes pagam R$ 150 e os nativos desembolsam uma taxa de R$ 50 (ou 12 quilos de peixe). Um dos pré-requisitos para participar é ter licença de pesca amador ou profissional. Cada barco deverá ter ao menos três inscritos. Os participantes recebem uma camisa do campeonato, onde este ano aparecem apenas três patrocinadores. Nesta edição, estão inscritos visitantes de São Paulo, Paraná e Caruaru (PE).

O pescador Onildo Campos, que participa do campeonato desde a primeira edição, diz que o torneio é uma momento de confraternização entre os pescadores e uma demonstração de amor pela pesca esportiva. “A história do campeonato começou em 1995, numa brincadeira entre amigos, que acabou virando uma tradição e entrando para o calendário de eventos esportivos de Noronha”.

No torneio, só é permitida a pesca de linha, com exceção do uso da tarrafa apenas para a captura de iscas. Os barcos saem para alto-mar às 6h e precisam retornar para o porto às 18h. De acordo com determinação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), é proibida a pesca dentro das áreas limites do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha.

A captura dos peixes segue uma pontuação. Os mais cobiçados são o marlin e o sailfish, cada um valendo 15 pontos por quilo. Já a cavala vale 8 pontos e o dourado, 5 pontos/kg.

PREMIAÇÃO – O prêmio geral é concedido para quem conseguiu capturar o peixe maior e também para o mais pesado. São premiados do primeiro ao terceiro lugar nas categorias de equipe visitante e equipe local. O campeonato também valoriza as mulheres, concedendo o Troféu Sereia para as melhores pescadoras nas duas categorias.

Durante o torneio, também acontece a terceira edição do campeonato infantil, para crianças de até 13 anos. A premiação é do primeiro ao terceiro lugares (masculino e feminino). Já o Troféu Sardinha vai para quem ficar em último lugar. Os troféus – uma réplica de um marlin – são confeccionados por um artesão recifense em alumínio reciclado (lacres de latas de cerveja e refrigerante).

O presidente do Comitê de Pesca de Fernando de Noronha, Marcílio Barros, destaca que este ano os peixes serão vendidos para estabelecimentos comerciais de Noronha e os créditos da venda serão repassados para a escola e a creche da ilha. “Essa é uma maneira de beneficiar a comunidade local”, observa. Cada pescador fica com 15 quilos de peixe, além de um exemplar escolhido por ele. O restante segue para doação.

No ano passado, o vencedor do campeonato na categoria visitante foi a embarcação D’amore, do Recife, e a Liberty, de Noronha.

Fonte: JC Oline

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.