Estado da Bahia vai produzir 50 milhões de alevinos em 2010

Até final do próximo ano a Bahia deverá estar produzindo mais de 50 milhões de alevinos, nas sete estações de piscicultura administradas pela Secretaria da Agricultura, Irrigação e reforma Agrária (Seagri), através da Bahia Pesca. A meta supera as estimativas de produção deste ano, que deverá ser um pouco superior aos cinco milhões de alevinos.

Na visita que fez à Estação de Piscicultura de Jequié, a 358 quilômetros de Salvador, acompanhado do diretor-presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli, e do prefeito Luiz Amaral, o secretário estadual da Agricultura, Roberto Muniz, disse que com a perspectiva de cresci mento da produção de alevinos, o Governo do Estado vai estender o programa de piscicultura a praticamente todos os municípios do interior do estado.

A visita teve caráter técnico, de avaliação das reformas que foram feitas este ano na Estação de piscicultura de Jequié, que junto com as de Cipó, Boa Vista do Tupim, Pedra do Cavalo, Joanes, Itamaraju e Porto Novo (Santana) compõem a estrutura de estações da Bahia Pesca. Para 2010 uma nova estação, da de Caiçara, no município de Paulo Afonso, a 440 quilômetros de Salvador, deverá entrar em operação.

Produção

Este ano a produção de alevinos pela Bahia Pesca deverá ficar um pouco acima dos cinco milhões, acima das 4.1 milhões produzidas no ano passado. A produção só não foi maior porque todas as sete estações tiveram, que passar por reformas nas suas estruturas, o que dificultou a ampliação dos programas de povoamentos em aguadas públicas no interior do estado.
Das sete estações mantidas pela Bahia pesca, a de maior produção é a de Boa Vista do Tupim, no município do mesmo nome, com uma estimativa de chegar ao final deste ano com uma produção de dois milhões de alevinos. Em seguida vêm as de Pedra do Cavalo, no município de Cachoeira (1,7 milhão), Joanes, em Camaçari ( 1,45 milhão), Jequié (um milhão), Itamaraju (650 mil), Cipó, 310 mil) e Porto Novo, ,no município de Santana, cujas reformas ainda não foram concluídas.

O programa de povoamento em aguadas públicas já beneficiou este ano mais de10 mil famílias, em 57 municípios, principalmente na região do Semi-Árido. Através de entidades e associações, a Bahia Pesca fornece os alevinos e dá capacitação pára os pequenos produtores rurais, que após o período de alevinagem, fazem a engorda dos peixes com rações balanceadas. Ao fim do período que varia de seis a oito meses, os peixes podem ser capturados para consumo e comercialização.

Fonte: Bahia Pesca

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.