Esforço concentrado para doar mais de meio milhão de alevinos

Num esforço redobrado, que envolve técnicos especializados nas diversas áreas da piscicultura, mais de meio milhão de alevinos dos espécimes tilápias, carpas, tambaquis e tambacus, estão sendo distribuídos, até o próximo dia 19 deste mês, em nove municípios do interior do Estado. Os peixes têm saído das estações de Pedra do Cavalo, no município de Cachoeira, Cipó, Boa Vista do Tupim e Joanes, em Camaçari, para povoamento em aguadas públicas e comunitárias.

O programa de povoamento das aguadas públicas, da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), é feito pela Bahia Pesca, que nos próximos 10 dias vai estar presentes nos nove municípios, tendo sido iniciado na última quinta-feira (5), em Utinga, a 414 quilômetros de Salvador, na Região da Chapada Diamantina, e terminará em Jacaraci, na Região Sudoeste do Estado.

Na próxima quinta-feira (12), O peixamento acontecerá nos municípios de Biritinga e Uauá, que receberão a visita dos técnicos da Bahia Pesca, para o povoamento das aguadas públicas e comunitárias. Em cada um dos municípios, os agricultores receberão treinamento para estarem capacitados à criação dos alevinos até a fase da despesca, quando, já na fase adulta, poderão ser capturados para consumo e comercialização.

No Sudoeste – Dos nove municípios, os que receberão maiores quantidades de alevinos são Jacaraci, na Região Sudoeste, a 719 quilômetros de Salvador, e São Domingos, a 252 quilômetros de Salvador, na Região Sisaleira, que vão receber cada um, 100 mil tilápias. Em seguida vêm os municípios de Taperoá (80 mil alevinos), Uauá (60 mil) Jussari, Biritinga e Fátima, com 50 mil cada, Utinga (30 mil) e Itanagra, com 20 mil alevinos.

Otimista, o diretor-técnico de Aqüicultura da Bahia Pesca, Marcos Rocha, acredita que até o final do ano a Bahia Pesca possa atingir a meta de mais de cinco milhões de alevinos distribuídos. Ele toma por base a produção atual apenas nas estações de piscicultura de Joanes, Boa Vista do Tupim, Cipó e Pedra do Cavalo, que estão com um estoque de 740 mil alevinos este mês. “Com as atuais estações estamos produzindo bem, não ainda o suficiente para atender à demanda de todo o estado, mas o suficiente pára manter e ampliar os programas de piscicultura”, disse.

Marcos Rocha explica, ainda, que os volumes de produção de alevinos devem-se ao fato de que este ano a Bahia Pesca teve que reformar a maioria das estações de piscicultura, o que fez com que a produção diminuísse. No próximo ano, contudo, além das sete estações recuperadas, está prevista a entrada em operação de uma nova estação de piscicultura, a de Caiçara, a maior do Estado, no município de Paulo Afonso, a 440 quilômetros de Salvador. “Ai então, poderemos chegar a produzir até 60 milhões de alevinos por ano”, disse.

Fonte: Bahia Pesca

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.