Engenharia de Pesca

É o setor da engenharia voltado para o cultivo, a captura e a industrialização de pescado marinho e de água doce. O engenheiro de pesca estuda e aplica métodos e tecnologias para localizar, capturar, beneficiar e conservar organismos aquáticos. Suas atividades básicas são o planejamento e o gerenciamento das atividades pesqueiras voltadas para a industrialização e para a comercialização do pescado. Como especialista em aquicultura, esse profissional também projeta fazendas de cultivo de peixes, crustáceos e moluscos desenvolvendo técnicas de engorda e reprodução em cativeiro.

Pesquisa o beneficiamento e a conservação dos animais ainda em alto-mar e acompanha sua industrialização e distribuição no mercado consumidor. Instala e mantém motores e equipamentos mecanizados usados em operações de pesca, beneficiamento e processamento.

Mercado de Trabalho

São boas as perspectivas para o engenheiro de pesca no Brasil. O país tem uma extensa costa e um grande potencial para o cultivo, a exploração e a captura de peixes. Ao mesmo tempo, a mão-de-obra especializada ainda é escassa. A criação da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, em 2003, hoje Ministério da Pesca e Aquicultura, também incentiva investimentos no setor. Em 2007, por exemplo, aplicou cerca de R$ 150 milhões em obras de infra-estrutura, como pesqueiros públicos, e em projetos como o Programa Nacional de Controle Higiênico-Sanitário de Moluscos Bivalves, o qual prevê a adoção de um selo de qualidade que impulsionará as vendas entre estados e também a exportação.

As empresas de produção de pescado espalhadas por todo o país,costumam abrir vagas com frequência. Os frigoríficos que integram a cadeia voltada à exportação oferecem oportunidades principalmente para quem tem especialização em tecnologia de pescado. Os empregos concentram-se nas regiões Sul e Nordeste e nos estados do Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Em Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia e Paraíba, cresce o setor de criação de peixes e camarões, o que aquece o mercado para o especialista em aquicultura. Também é alta nesses estados a demanda por engenheiro de pesca para embarcar e acompanhar o processo de captura. O serviço é bem remunerado porque o profissional recebe comissão pela produção. No Sul, aumenta a produção de trutas e moluscos, que incluem mexilhões, ostras e vieiras, levando à abertura de novas vagas.

Outra área que abre postos de trabalho é a de cultivo de peixes marinhos, que deve crescer nos próximos anos. O momento é favorável ainda para quem quer desenvolver pesquisas. O crescimento do setor que faz parte dos planos governamentais para aumento da produção de alimento para os mercados interno e externo leva a uma boa oferta de recursos por parte das agências de financiamento.

De = Universidade Federal do Ceará – Engenharia de Pesca

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.