Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

DNOCS trabalha na preservação do pirarucu no Nordeste brasileiro

Abril deste ano, o açude Caldeirão, em Piripiri, receba os primeiros alevinos de pirarucu

Pirarucu – maior peixe de água doce

O DNOCS está desenvolvendo na Estação de Piscicultura Adhemar Braga, no município de Piripiri, estado do Piauí, um trabalho de criação de pirarucu em cativeiro, com vistas a preservação da espécie ameaçada de extinção no habitat natural – a Amazônia – , em face da pesca predatória realizada em larga escala
naquela região.

Essa medida originária no Centro de Pesquisas em Aquicultura (CPA), localizado em Pentecoste, Ceará, está sendo disseminada para as estações de piscicultura do órgão implantadas no semiárido nordestino, com o objetivo de preservar no Nordeste brasileiro, essa espécie de peixe, considerado o maior peixe de escama de água doce do planeta, podendo chegar a três metros de comprimento e atingir até 300 quilos.

Segundo o chefe da Estação de Piscicultura do Piauí, Elivelton Teixeira Cesar, o pirarucu, por ser um peixe carnívoro, passa por mudanças em seu regime alimentar, com a ministração de ração em sua alimentação a fim de que se torne menos carnívoro, convivendo no mesmo ambiente com outras espécies.

De acordo com aquele técnico, a previsão é que em abril deste ano, o açude Caldeirão, em Piripiri, receba os primeiros alevinos de pirarucu, o mesmo acontecendo com criatórios espalhados pelo Piauí.

DNOCS

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …