Circuito de pesca esportiva é o maior em premiação do país

Cerca de R$ 75 mil serão distribuídos entre os ganhadores das seis etapas da competição

Termina neste final de semana o 1º Circuito de Pesca Esportiva do Lago de Furnas. Maior evento em número de participantes de Minas Gerais, agora tem a mais alta premiação do Brasil, motivo que vem atraindo pescadores esportivos de diversas regiões do país.

Nos próximo dias 25 e 26 de maio (sexta-feira e sábado), a represa de Furnas, na cidade de Alfenas, será cenário da última etapa do circuito, que já foi realizado em outros cinco municípios do sul do Estado: Formiga, Fama, Guapé, Boa Esperança e Carmo do Rio Claro.

A cada etapa R$ 10 mil em prêmios são distribuídos entre os cinco primeiros colocados. No final do circuito, a dupla que somar o maior número de pontos, em todas as etapas, ganhará um barco com comando de direção, motor de 25 hp e uma carreta para transporte da embarcação, avaliados em R$ 15 mil. Ao todo serão R$ 75 mil, o maior valor em prêmios do segmento oferecido no país.

Desde o início da competição, em setembro do ano passado, mais de 300 duplas de cidades de Minas Gerais, de São Paulo e do Rio de Janeiro já participaram, e outras 70 duplas devem comparecer ao final do evento.

O requisito para conquistar a maior pontuação é a captura de três espécies de peixes, entre elas, o tucunaré, a tabarana e o dourado, que devem medir no mínimo 25 centímetros. “Abaixo dessa medida os peixes não serão pontuados. Durante a pesca serão computados os oito maiores exemplares capturados pela dupla”, afirma o técnico do Sebrae, Fernando Machado Ataíde.

Na sexta-feira, dia 25 de maio, serão ministradas palestras sobre a legislação ambiental, os aspectos sócio-econômicos da pesca esportiva, alerta sobre o mexilhão dourado e a liberação do mapa que indicará o perímetro do circuito. No sábado, dia 26 de maio, mais de 30 mil alevinos serão soltos na represa. ”O nosso objetivo é divulgar o Lago de Furnas como roteiro turístico para a prática da pesca esportiva, e conscientizar a população e os participantes”, explica o coordenador do evento, Aléssio Freire.

Considerada um esporte, a pesca esportiva também é reconhecida como um segmento econômico e ecologicamente correto, já que consiste na prática de pegar e soltar o peixe, sem matá-lo. “É praticada por pescadores que sentem prazer no ato pescar e não no ato de matar peixes. É bom lembrar que pesquisas mostram que o peixe vivo gera 15 vezes mais receita para o município do que o filé do mesmo”, explica Aléssio Freire.

O Lago de Furnas faz parte do programa de desenvolvimento turístico realizado pelo Sebrae Minas, que tem como objetivo aumentar o capital social e o desenvolvimento sustentável da região, criando oportunidades de renda para a população de 16 municípios do Sul de Minas. “Queremos estimular o turismo e conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação ambiental na região”, conta o técnico do Sebrae Minas, Fernando Machado Ataíde.

O evento é promovido pela Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago) em parceria com o Sebrae Minas, Ministério do Turismo, Emater-MG, Polícia Militar Ambiental, prefeituras municipais das seis cidades participantes, BMG, MetalGlass, Bombardier, InterGreen, Empório do Pescador, Aquasul, Tanrede, TV Alterosa, Revista Pesca Esportiva e Piscina & Cia.Náutica.

Serviço:

1º Circuito de Pesca Esportiva do Lago de Furnas
Palestras
Dia 25 de maio (sexta-feira)
Horário: das 19:00 às 21:30
Local: Alfenas Náutico Clube (Alameda de Copacabana s/n° – Alfenas/MG)

Largada
Dia 26 de maio (sábado)
Horário: das 9:00 às 17:00
Local: Rampa Náutica de Alfenas

Entrada gratuita

Fonte e Informações: Assessoria de Imprensa Sebrae Minas

Nota : Gostaria de deixar os parabéns aos organizadores desse campeonato e principalmente pelo comentário do coordenador Aléssio Freire : “É bom lembrar que pesquisas mostram que o peixe vivo gera 15 vezes mais receita para o município do que o filé do mesmo”.

Seria ótimo se donos de pousadas, ribeirinhos, piloteiros, guias de pesca, organizadores de excursões , pescadores, Ibama e demais autoridades tivessem esse mesmo pensamento. Que o peixe vivo gera mais receita que o peixe morto.

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.