Cílios do Ribeira


A recuperação das matas ciliares do Vale do Ribeira, entre São Paulo e Paraná, é o objetivo maior da campanha “Cílios do Ribeira”, que será lançada nos dias 10 e 11 de agosto. O nome da campanha foi selecionado a partir de concurso promovido em 29 escolas públicas da região, em um processo de mobilização que envolveu cerca de dois mil alunos.

Cílios do Ribeira” é o nome da campanha de recuperação da mata ciliar do Vale do Ribeira que será lançada nos próximos dias 10 e 11 de agosto, em Registro (SP). O batismo da campanha foi realizado por meio de um processo participativo que envolveu aproximadamente 2 mil alunos de 29 escolas públicas de 14 municípios da região.


O nome escolhido foi criado pela estudante Raquel Hellen do Nascimento, 17 anos, que cursa a 3ª série do ensino médio na escola estadual Prof. Luiz Darly Gomes de Araújo, no município de Barra do Turvo. Raquel e sua professora, Lenisa Maria dos Passos, receberão como prêmio pela vitória no concurso um computador cada uma. “Recebemos a notícia hoje e toda a escola ficou muito feliz, mal acreditamos”, diz a professora. “As novas gerações estão muito conscientes em relação aos temas ambientais e acho que a campanha vai contar com o apoio de muitos jovens da região”, acredita ela.

A campanha “Cílios do Ribeira” surgiu a partir de uma parceria entre o Instituto Ambiental Vidágua e o Instituto Socioambiental (ISA) e hoje envolve mais de 40 instituições públicas e segmentos sociais do Vale do Ribeira. A iniciativa pretende desenvolver nos próximos dois anos um conjunto de ações estratégicas para garantir a proteção das águas da Bacia Hidrográfica do Rio Ribeira de Iguape, região que abriga o maior e mais conservado remanescente contínuo de Mata Atlântica do Brasil. Veja abaixo as metas da campanha.

A campanha também tem como objetivo reverter o quadro de degradação atual das Áreas de Preservação Permanente (APPS). Nos últimos 20 anos, o Vale do Ribeira perdeu mais de 10.500 campos de futebol de mata ciliar, somente na porção paulista de sua bacia. Sem suas margens cobertas pela vegetação, o rio Ribeira, bem como seus principais afluentes, sofre com o assoreamento de seu leito, com a erosão de suas margens e com a queda da qualidade de suas águas. O processo afeta negativamente toda a população da região, pois a ausências das matas ciliares provoca o aumento e o agravamento de cheias e enchentes, diminui a quantidade de peixes nos rios e compromete a pesca comercial e tradicional.

Fonte = Socioambiental.org

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.