Campeonato Estadual de Pesca movimenta a economia de Mato Grosso


Nova Xavantina teve a participação de 39 equipes de pescadores

O 4º Campeonato Estadual de Pesca (Cep) será encerrado neste domingo (23.09), em Cáceres, considerada uma das principais portas de entrada para o Pantanal Mato-Grossense. A última etapa acontece paralelamente ao 28º Festival Internacional de Pesca Esportiva. Depois de 35 eventos realizados nos últimos seis meses, em diferentes municípios, finalmente o público conhecerá o vencedor da pesca esportiva deste ano. A expectativa é grande e as três primeiras equipes classificadas no Campeonato são a Carajás, de Cáceres, com 680 pontos. em segundo aparece a Zero 60, de Carlinda, com 570 pontos e em terceiro lugar, está a RR Torno e Solda, de Porto Esperidião, com 460 pontos.

De acordo com o coordenador do CEP, Geraldo Donizete Lúcio, em função das regras do campeonato tudo pode mudar na última hora. “Sendo assim, os 10 primeiros classificados têm chances de conseguir um bom lugar na final”, incentiva. O tipo do peixe, o tamanho e o número de participações são pontos que contam para o desempate, caso isso aconteça na última etapa.


O CEP além de ser uma opção de diversão para os apaixonados pela pesca esportiva é também uma ferramenta importante para movimentar a economia interna de Mato Grosso. Na opinião do secretário de Desenvolvimento do Turismo, Pedro Nadaf, o turismo interno é importante para garantir o movimento, especialmente na baixa temporada. “Com a realização das etapas há movimento freqüente de pessoas e da economia”, enfatiza.

Deixando de lado, os grandes peixes que há nos rios mato-grossenses e as belezas naturais que cada município exibe com orgulho, é importante destacar os números movimentados pelo evento. No período entre março e setembro 1.752 equipes se movimentaram em todo o Estado participando das etapas. Cada uma é composta por no mínimo três pessoas, o que significa mais de cinco mil indivíduos praticando a pesca esportiva nos rios mato-grossenses. “Se pensarmos que cada pescador gastou em média R$ 20 com equipamento e isca para garantir a pescaria, a economia do Estado teve um incremento de pelo menos R$ 105 mil somente no mercado exclusivo de pesca e náutica. Vale destacar que é um mercado onde o valor da maioria dos produtos não passa de R$5,00”, analisa Lúcio. “Isso só no mercado de pesca, sem contar alimentação, hospedagem e outros tipos de compra”, completa.

Equipes – Sorriso, a 412 quilômetros de Cuiabá, foi o município com mais equipes inscritas. Ao todo foram 189. Já Luciara, a 1.140 quilômetros da capital, foi o que teve menor número de equipes, ou seja, somente 13. Mas aqueles que participaram desta etapa afirmaram que isso não comprometeu a diversão, muito pelo contrário acirrou a competição.

A média de participação foi de 50 equipes em cada etapa. Cada um com sua particularidade conseguiu atrair publico de diversos municípios. A comissão organizadora do CEP de Barra do Bugres, a 163 quilômetros de Cuiabá, comemorou o maior número de representantes de outros municípios. Ao todo teve a participação de 22.

Peixes – Ao todo, participaram do evento 5.269 pescadores. Eles capturaram e soltaram 4.429 peixes em rios de 35 municípios mato-grossenses. A média de peixes capturados por etapa foi de 126 exemplares. Considerando que houve em média 50 equipes participando de cada etapa. Todo mundo se divertiu, ou seja, cada grupo pescou pelo menos dois peixes em cada etapa.

Mas não foram só os pescadores que se divertiram. As 35 etapas movimentaram um público de pelos menos 180 mil pessoas. Considerando que cada um gastou em média R$ 80 com alimentação e hospedagem houve um incremento de pelo menos R$ 1.5 milhão na economia dos 35 municípios que participaram. “É importante destacar que este valor é uma média. Há aqueles que gastam muito mais e outros menos”, avisa Lúcio.

Além do mato-grossense, o CEP também atraiu visitantes de várias cidades de São Paulo, Rondônia, Distrito Federal, Goiás, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Rio de Janeiro e até do Exterior. Na etapa de Aripuanã, a 1.196 quilômetros da capital, onde 5.500 pessoas participaram da pesca houve a presença até de canadenses.

ELAINE PERASSOLI
Imprensa/Sedtur/MT

Veja também

Projeto Prorobalo Unesp de Registro capacita guias de pesca

É promovida a prática da pesca amadora responsável Projeto da Unesp de Registro vem promovendo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.