Campeonato de pesca incentiva o turismo e promove educação ambiental em Rolim de Moura

Foram pescados quase 400 kg de tambaquis que foram doados para instituições filantrópicas

Foram pescados quase 400 kg de tambaquisA 2ª edição do Ecopesca estudantil, que aconteceu no último fim de semana em Rolim de Moura, reuniu pelo menos 200 pessoas entre estudantes, professores, técnicos da Emater e outras pessoas envolvidas com o evento.

Este ano, o campeonato, que é uma iniciativa do deputado estadual Luiz Cláudio, teve a participação de oito escolas e arrecadou quase 400 kg de peixes. A competição aconteceu na propriedade de Jair Palmiere, linha 192 Sul, Km 2.

Segundo Francisco Evaldo de Lima, secretário adjunto da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri), o propósito do campeonato é incentivar o turismo de pesca e a educação ambiental, através de atividades ecologicamente corretas. “Por isso mesmo, esse projeto tem o viés de educar, contando com o envolvimento de toda sociedade”, disse o adjunto que destacou a parceria entre Seagri, Seduc e Emater no evento. Evaldo ainda reforçou que a questão ambiental vem sendo considerada cada vez mais urgente e importante para a sociedade.

O deputado estadual Luiz Cláudio enfatiza que é justamente essa a proposta de eventos como o Ecopesca: incentivar a prática do turismo sustentável e contribuir para a conservação da natureza de modo eficaz e gratificante. “O Ecopesca objetiva mostrar a importância de se formar cidadãos conscientes de seu papel e de sua relação com o meio ambiente de modo que as futuras gerações possam também usufruir dos recursos renováveis disponíveis hoje”, pontuou.

Para Márcio Soares Barbosa, gerente regional da Emater em Rolim de Moura, a escola tem papel fundamental neste processo porque é responsável pela educação e formação do cidadão. “É necessário que os moradores percebam a importância de se preservar o meio ambiente, e nada melhor do que iniciar este trabalho de educação ambiental pelos estudantes”, reforçou Barbosa.

Premiação

Embasados nesses conceitos ecologicamente corretos, os quinze participantes de cada equipe (oito) iniciaram a competição, cujo saldo final resultou em 395,700 kg de tambaquis criados em cativeiro. Cinco equipes foram premiadas. O 1º lugar ficou para a Equipe do Ceeja, que pescou 80,5 kg de tambaqui, já o colégio Cândido Portinari ficou em 2º lugar, com 66,7 kg. A terceira colocação foi da escola Maria Rabelo, com 55,8 kg. A equipe do colégio Milson Silva pescou 51,6 kg e alcançou o 4º lugar, e a escola Tancredo Neves obteve a 5ª colocação, com 39,9 kg de peixes.

A equipe que conquistou o 1º lugar ganhou R$ 1.200,00, a que ficou em 2º levou R$ 800,00, o 3ª colocada ganhou R$ 500,00, a que ficou em 4º lugar recebeu R$ 300,00 e a equipe que ficou em 5º lugar ganhou R$ 200,00. O dinheiro obtido com as premiações será utilizado para a festa de formatura dos alunos participantes que estão concluindo o Ensino Médio. Já os quase 400 kg de tambaquis pescados foram doados para instituições filantrópicas.

Fonte: A/I SEAGRI – Secretaria da Agricultura

Veja também

Goiás – Lei da Cota Zero será renovada por mais três anos

Os rios goianos são, sem dúvida, um dos maiores patrimônios de Goiás. A biodiversidade e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verificação Segurança (obrigatorio) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.